Menino em tratamento de câncer é internado com Covid-19 e se recupera com “pulmão artificial”

Foram inúmeras situações difíceis com a doença, até chegar a etapa de remissão. Tudo parecia bem, até que Vinícius contraiu coronavírus

Resumo da Notícia

  • Vinícius Brandão Souza Lima, de 14 anos, é paciente oncológico;
  • Ele teve alta médica em julho deste ano, após ter contraído Covid-19 durante o tratamento de um tumor no cérebro;
  • O menino precisou contar com a ajuda de um “pulmão artificial”, para se recuperar.

Vinícius Brandão Souza Lima, de 14 anos, é paciente oncológico e teve alta médica em julho deste ano, após ter contraído Covid-19 durante o tratamento de um tumor no cérebro. O menino precisou contar com a ajuda de um “pulmão artificial”, para se recuperar.

-Publicidade-

O garoto tinha apenas 11 anos e foi diagnosticado com um tumor cerebral. A partir daí, uma rotina de exames, radioterapia, quimioterapia, cirurgias e internações passaram a fazer parte do seu cotidiano e de sua família.  Foram inúmeras situações difíceis com a doença, até chegar a etapa de remissão.

A remissão do câncer é o período em que a doença está sob controle. Tudo parecia bem, até que Vinícius contraiu Covid-19.  Por todo o histórico de saúde, o menino teve o quadro agravado. E o pai, falou que o tratamento com ECMO, durante o grave estágio da doença foi fundamental para a sua recuperação.

Menino em remissão teve covid-19 (Foto: Arquivo pessoal)

A oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO) é um avançado suporte à vida que pode ser usado em crianças e adultos com grave insuficiência respiratória ou cardíaca.  “Chegamos ao hospital e ele foi direto para a UTI pediátrica para ser entubado”, começou o pai, Celso Vieira de Lima.

“Quando a equipe médica me falou sobre a ECMO, associei prontamente ao caso do ator Paulo Gustavo. Tive medo porque não conhecia, mas acredito que era a sua única chance de sobreviver. Para nossa surpresa, com apenas duas horas em ECMO, ele já estava estabilizado e foi melhorando a cada dia” explica. Entretanto, em entrevista exclusiva à Pais&Filhos, ele comentou que o susto foi grande: “Em um primeiro momento o mundo cai. Porque a gente já está muito fragilizado. Já estávamos fazendo um tratamento de um tumor desde 2017. E aí, no meio de uma quimioterapia, vem a Covid e faz esse estrago todo. Buscamos amparo na espiritualidade”.

Segundo o responsável por Vinicius, a rápida recuperação surpreendeu até os médicos e ele agradece: “Hoje tenho muito alegria, graças ao apoio de toda a equipe e a esse tratamento, meu filho está em casa”.

Menino raspa cabelo para animar amigo internado com cãncer (Foto: Freepik)

A cardiologista pediátrica da Rede Mater Dei e diretora da ECMO Minas, Marina Fantini explica que vários motivos colaboraram para o sucesso da ECMO neste caso. “Primeiro tivemos uma equipe da CTI pediátrica muito atenta a todas as mudanças clínicas que o paciente apresentava. Ele entrou na terapia de forma precoce, sem que o pulmão estivesse totalmente comprometido e a participação dele foi fundamental”, começa.

Marina ainda explicou que Vinicius  entendeu o que estava acontecendo e contribuiu com o tratamento. “Conseguimos reabilitar o pulmão comprometido com muita fisioterapia e esforço multidisciplinar. Todos os setores do hospital participaram desta luta. Tentamos levar ao Vinícius conforto, segurança e medicina de ponta”, conclui a especialista.

Sobre a rotina em casa após o tratamento, Celso falou à Pais&Filhos sobre esperança: “A rotina em casa é aprendizado. No primeiro momento tem a insegurança, de vir com ele do hospital para casa e dar conta de tudo. Agora, estamos reaprendendo com ele, a parte motora, a parte respiratória (ele está fazendo fisioterapia). Então, é um dia após o outro”.  O pai ainda aconselha: “Eu diria para os pais, neste momento, que é preciso ter muita fé e esperança. Além de ter confiança na equipe médica, que está amparando e protegendo seu filho”.

Celso ainda fletiu sobre o que a família aprendeu com o caso do filho: “Neste momento, a gente para e reavalia os valores, as condutas e aí passamos a valorizar mesmo as coisas mais simples”. Ele continua: “Aqui em casa mesmo, agora, damos muito valor em sentar-se à mesa com toda família, com meus filhos, em especial com Vinícius, para aproveitar esses momentos para conversar e estarmos juntos. Então, sem sombra de dúvida, a família é a base de tudo.”