Menino flagrado com árvore de Natal em lixão quer construir casa para a mãe no futuro

Gabriel Silva, de 12 anos, viralizou ao aparecer segurando uma árvore de natal em um lixão localizado em Pinheiro, a 333 km de São Luís

Resumo da Notícia

  • O menino de 12 anos flagrado com uma árvore de Natal no lixão contou como deseja ajudar a família no futuro
  • Ao G1, Gabriel Silva contou que quer ser jogador de futebol
  • Com a carreira alavancada, ele ainda admitiu que quer construir uma casa para a família

Gabriel Silva, de 12 anos de idade, viralizou nas redes ao aparecer segurando uma árvore de Natal no meio de um lixão em Pinheiro, a 333 km de São Luís. Ao G1, o menino contou qual carreira quer seguir no futuro e como deseja ajudar a família.

-Publicidade-

Gabriel admitiu que deseja ser jogador de futebol – e que quer construir uma casa para a mãe com o dinheiro que conseguir como atleta. “Eu gosto de estudar pra ter um futuro. Quero ser jogador de futebol pra fazer uma casa para minha mãe”, disse.

A mãe dele, Maria Francisca Silva, ficou surpresa com a repercussão do registro – e falou sobre como a fama mudou os rumos da família. “Fiquei surpresa dessa foto ter feito essa ‘viravolta’ na vida do meu filho e na nossa família. E fiquei feliz porque muitas pessoas ‘tá’ ajudando. A gente cata [sucata] porque não tem outro serviço e dá uma renda boa pra gente, boa no sentido de que dá pra gente sobreviver”.

Internautas organizaram uma vaquinha para a família
Internautas organizaram uma vaquinha para a família (Foto: Reprodução/ Instagram)

Internautas se comoveram com a história de Gabriel e com o registro feito pelo fotógrafo João Paulo Guimarães. Por causa disso, mobilizaram uma vaquinha online para arrecadar não só uma árvore de Natal nova para o menino – mas também outros itens de necessidade básica para toda a família.

“Passei o dia com eles fotografando no lixão. E eu vi quando o Gabriel abriu o saco e puxou. Eu lembro disso como se fosse assim em câmera lenta, acontecendo na minha frente. E eu só virei e comecei a fotografar”, relembra João, também ao G1.