Menino relata que sofreu racismo durante um campeonato de futebol em Caldas Novas: “Fecha o preto”

O caso foi registrado pela Polícia Militar. O treinador apontado como o autor das ofensas nega atitude racista e o caso vai ser julgado

Resumo da Notícia

  • Racismo no futebol
  • Menino de 11 anos relatou o caso
  • O treinador do time adversário foi suspenso
  • Veja mais na matéria abaixo!

Um menino de 11 anos denunciou uma atitude racista que sofreu durante um campeonato de futebol em Caldas Novas, em Goiás. Luiz Eduardo fala que o treinador do time adversário usa o termo “preto” para falar do garoto. Um vídeo registrou o momento, no qual o menino sai de campo chorando e conta a situação.

-Publicidade-

“Ele falava assim toda hora: ‘Fecha o preto, fecha o preto, fecha o preto aí’. Eu guardei para falar no final. Ele falou um monte de vezes”, disse o menino no vídeo, chorando.

O caso aconteceu na quarta-feira, 16 de dezembro, durante a Caldas Cup. Lázaro Ciana é o técnico do time adversário e acusado de ter sido o autor das ofensas, mas afirma que tais declarações são “inverdades”.

(Foto: Divulgação)

A equipe que cuida da organização do evento se pronunciou nas redes sociais e o comunicado diz: “Afirmamos que não pactuamos com qualquer atitude discriminatória que venha a ser cometida na competição, independente de quem venha cometer tal ato. A organização estará sempre presente para que os fatos sejam apurados pelas autoridades competentes para que a diferença de cor seja só na camisa”.

Adriano Santos é o diretor do time do menino e relatou que a criança saiu chorando do campo, mesmo sendo vitorioso. Ele ainda explica ao Jornal Anhanguera que: ““Alguns pais viram [ o menino chorando] e foram ver o que estava acontecendo. Ele, então, disse que tinha sido chamado de preto e apontou para o treinador adversário, falando que tinha sido ele”.

O profissional afirma que acionou a Polícia Militar para registrar o caso e tentou conversar com o técnico do time adversário para que ele se desculpasse com o menino, mas isso não aconteceu. ” “Eu liguei para os pais dele, que estavam em Minas Gerais e estão vindo ficar com ele. Também vamos à delegacia” fala Adriano Santos.

“Ninguém da comissão técnica ou atleta do nosso time falou nada com nenhum atleta da equipe adversária ou comissão técnica. Nada foi relatado em súmula pelos árbitros e pelo coordenador”, relata Lázaro Ciana. Ele ainda afirmou que na realidade, foi ele quem sofreu injúrias raciais vindo do outro time e o que vídeo foi publicado para prejudicar tanto sua imagem pessoal quanto a do clube.

A Liga Desportiva Região das Águas Thermais informou que devido às acusações, o treinador está provisoriamente suspenso da competição. Ele deve permanecer afastado até que os fatos sejam esclarecidos perante à lei.

(Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)