Família

“Meus filhos me fizeram descobrir uma força que eu nem imaginava ter”

Gessica Ottoni é mãe de três filhos, que chegaram de forma inesperada, mas transformaram a vida dela para melhor

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: Arquivo pessoal)

(Foto: Arquivo pessoal)

A Gessica Ottoni participou do projeto Lá em Casa é Assim – parceria da Pais&Filhos com a Natura Mamãe e Bebê – e mandou pra gente a história de sua família e sua experiência com a maternidade.

Aos 24 anos, ela nos contou como é ser mãe de três filhos, que chegaram de forma inesperada, mas transformaram a vida dela pra melhor. “Depois da maternidade, aprendi a amar de uma forma imensa, linda e sem explicações”, relata. Venha conhecer a história desta linda família:

“Tenho 24 anos, sou casada com o Josias e tenho três 3 filhos lindos. Há 6 anos minha vida mudou completamente: eu era apenas uma estudante, com planos para o futuro, planejando carreira, decidindo o que iria estudar. Até que veio a surpresa. Uma linda, maravilhosa e impactante surpresa, cheia de medos. Aos 18 anos, meu primeiro anjo, o Jhoseffer, chegou. Hoje ele está com quase 6 anos.

Digo que foi uma grande surpresa pois não planejamos a chegada dele. Mas aconteceu no momento que Deus escolheu, e foi perfeito. Não havia emoção mais fantástica do que ser chamada de mamãe. Antes do nascimento dele, eu trabalhava fora. Depois, veio a licença-maternidade e foi maravilhoso poder passar três meses ao lado do meu bebê.

Mas depois teria que voltar ao trabalho, como assim? Trabalho? E meu pequeno? E agora? Toda aquela preocupação que cai sobre as mães. Enfim, voltei ao trabalho, mas com aquele aperto no coração, de precisar deixar ele aos cuidados de outra pessoa. Mas passou 1 mês e não aguentei: joguei tudo pro alto e assumi o papel de mãe de ficar pertinho e cuidar, proteger e amar.

Três anos mais tarde, chegou outra surpresa emocionante, quando eu estava com 21 anos. Também não planejei, mas aconteceu. Nossa família iria aumentar e, desta vez, chegou com muita fofura a linda Sophia, que hoje está com quase 3 anos, aumentando ainda mais o meu amor. Ela estava com 6 meses quando… veio uma notícia que me fez desabar: estava grávida de novo. Desabei, sim, porque não esperava mesmo. Como assim? Estou com uma bebê de 6 meses e grávida novamente? E agora? Surgiram mil perguntas e medos na minha cabeça, mas respirei fundo e fui. Deus sabe de tudo e, se me proporcionou mais esse presente, é porque tenho força para lutar e amor não vai faltar nunca.

E assim chegou Celina, que hoje tem 1 ano. E que presente valioso, viu? Ela é meu chamego, minha flor. Hoje só tenho a agradecer a Deus por esse privilégio de ser mãe. Eles me tornaram uma pessoa melhor, me fizeram enxergar o mundo de outra forma. Me fizeram descobrir uma força que nem sabia que tinha e aprendi a amar de uma forma tão imensa e linda, que não tem explicação. Hoje eu sou muito mais feliz, cheia de sonhos e com uma vontade de viver imensa. Eles tornam meus dias mais lindos, mais cheios de luz e ver o sorriso deles é mágico. Ganhar uma abraço apertado e um beijo então, nem se fala. Eles são o que tenho de mais valioso aqui na Terra.

Infelizmente continuo desempregada, porque a sociedade ainda tem esse preconceito com mães que têm vários filhos. Faço várias entrevistas e não recebo nenhuma resposta positiva. Quando falo que tenho 3 filhos, o olhar do entrevistador já muda e procuram encerrar a entrevista mais rápido possível. Mas há 10 meses conheci a Natura, me tornei consultora e a cada dia me surpreendo com o quanto tem me ajudado a crescer financeiramente e no conhecimento através da consultoria. É maravilhoso.”

Leia também:

Adoção, aprendizado e amor: “Quando desejamos de verdade, não tem hora, sangue ou idade”

“Não interessa se é pai ou mãe. O que importa é cumprir o papel de cuidado e amor”, relata Peterson Rodrigues

“Minha filha me prova que não existe jeito certo ou errado de ser mãe”, relata Kareemi