Mineira presa na Tailândia por porte de drogas ainda não sabe da morte da mãe

Mary Hellen foi presa no país asiático no início de fevereiro por porte de drogas. A jovem ainda não teve a oportunidade de saber sobre a morte de sua mãe, que faleceu em 14 de abril

Resumo da Notícia

  • A jovem de 22 anos foi presa na Tailândia por porte de drogas
  • A mãe de Mary Hellen faleceu nesta quarta-feira, 14 de abril
  • A advogada da presidiária disse que ele terá a oportunidade de ter notícias sobre a mãe

A Mary Hellen, jovem de 22 anos, está presa desde 14 de fevereiro, na Tailândia – após ser pega com drogas em sua mala, assim que chegou no aeroporto do país asiático. A mulher deve ser informada nesta segunda-feira, 18 de abril, sobre a morte de sua mãe, a Telma Coelho – que faleceu em 14 de abril. Por estar presa na Samut Prakan Provincial Prision, em Bangkok – Mary enfrenta grande dificuldades de comunicação com o Brasil.

-Publicidade-

Segundo o jornal Correio Braziliense, a advogada da jovem, Kaelly Cavoli, garantiu que presidiária saberá do falecimento de sua mãe. “O agente consular alegou que na segunda-feira irá ao presídio onde ela se encontra para contar a notícia. Ainda não conseguimos dar a informação porque na Tailândia hoje se comemora o ano novo deles e por isso é feriado lá. Os órgãos públicos estão parados”, disse a advogada.

Jovem presa na Tailândia
A mineira foi presa na Tailândia, após desembarcar no país com cocaína na mala (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

Além disso, a Kaelly informou que tentou conato com às autoridades da Tailândia, para que a detenta soubesse sobre a morte da mãe. No entanto, o pedido não chegou a ser analisado. “Fizemos uma solicitação para que conseguíssemos uma ligação ou vídeo-chamada para que a própria irmã desse a notícia a ela, até para ser preservada a questão de saúde mental dela e para que a irmã pudesse gerenciar isso. Não tivemos um retorno”

“Ela está em uma das melhores penitenciárias da Tailândia, uma das que tem maior aparato tecnológico e uma das mais humanitárias. A prisão é uma situação muito desagradável para todos, em qualquer lugar do planeta. Com essa notícia ruim da mãe dela, a tendência é que ela se desestabilize mais um pouco. Ela está sofrendo com essa situação, sensível por estar em outro país, com outra cultura e outro tipo de comida e direito processual diferente”, finalizou a advogada.

Entenda o caso

A Mary Hellen foi presa ao desembarcar com 15,5 kg de cocaína na bagagem. Sem ter advogados no país asiático, ela pode sofrer uma grave condenação e até à pena de morte. Segundo entrevista ao UOL, os familiares da mulher disseram que ela sempre trabalhou para ajudar a família, sobretudo, a mãe que passa pelo tratamento de um câncer de útero. Ainda em depoimento, a família disse que não sabia dessa viagem de Mary, e acrescenta que ela nunca tinha saído do Brasil. As amigas de colégio acreditam que ela foi enganada.

“Ela sempre foi muito amiga de todo mundo e muito boa com todo mundo também. Era respeitosa, confiável. Desde o diagnóstico de câncer da mãe, ela vinha sofrendo bastante. Ainda estamos em choque com a prisão dela”, disse Camila Eduardo Campos, de 20 anos, amiga de Mary.

Já outra colega disse: “A Mary Hellen era muito inteligente. Não iria transportar drogas e ainda mais fora do país. Algum menino deve ter chamado ela para ir pra Curitiba, devem ter tirado o passaporte por lá e depois ido pra fora do país. Ela é ‘correria’. Trabalha para conquistar as coisas dela. Já trabalhou em pastelaria, lanchonete. Não precisava disso”, falou Angelique Sanches.