Mulher com duas vaginas dá à luz após gravidez de risco: “Descobri após exames de rotina”

Stephanie foi diagnosticada com uma condição rara, após exames ginecológicos. Ela queria ter filhos, mas o caso dela aumentava rosto de abordo durante a gestação. Porém, ela deu à luz no ano passado. Vem entender a história

Resumo da Notícia

  • Mulher nasceu com duas vaginas e descobriu após fazer um exame ginecológico
  • Depois de um aborto espontâneo, a mulher só conseguiria engravidar depois dos 30 anos
  • Mesmo com uma gravidez de risco, ela deu à luz a Stella em agosto do ano passado

Uma mulher que tem duas vaginas, uma condição rara, deu à luz naturalmente depois de passar por uma gravidez de alto risco, nos Estados Unidos. Stephanie Haxton, de 29 anos, foi diagnosticada com útero difelfo, uma malformação uterina (ocorre por conta da falha da fusão entre os canais müllerianos). Ela descobriu há seis anos depois de um exame ginecológico de rotina.

-Publicidade-

A conclusão é que, ela tem dois úteros que funcionam muito bem, mas que, aumentam o risco do aberto durante a gestação. “Disseram que não poderia ter filhos, então nunca depositei minhas esperanças em ter filhos”, disse ela. “Eu só pensei que se acontecesse, aconteceu. Disseram-me que, se eu quisesse de um bebê, teria que passar por alguns testes bastante invasivos. Então, eu apenas coloquei esse desejo de lado e continuei” disse Stephanie para o Metro.

A mulher e o esposo tiveram uma perda já, onde Stephanie sofreu um aborto espontâneo. Ela decidiu fazer exames para saber sobre gestação, e descobriu que teria que esperar até os 30 anos. Ela conta o dia que descobriu da gravidez novamente: “Fui classificada como uma gravidez de alto risco, então fazia um ultrassom toda semana. Também me disseram que seria difícil carregar o bebê a termo, já que o útero em que ela estava era muito pequeno”.

Stella nasceu em agosto do ano passado (Foto: Reprodução/Metro)

Quando visto no ultrassom, o bebê estava somente no colo do útero esquerdo, então, ele só crescia no lado esquerdo do estômago. Não tinha espaço para se mexer durante os nove meses e os médicos se preocuparam com o caso. Felizmente, a bebê Stella nasceu com 41 semanas em agosto do ano passado.

Os dois colos do útero são separados por um pequeno pedaço de tecido que é chamado de septo. Eles pensaram que eu iria precisar de uma cesariana de emergência e tudo estava pronto pra isso, mas a tive sem. Cerca de uma em cada 5 mil mulheres tem essa condição e eu fui a primeira no hospital a ter. Olhando para trás, eu fui tão abençoada… A equipe foi tão solidária. Foi muito suave, embora muitos não conheciam a condição, eles foram muito profissionais” relatou Stephanie.

E por incrível que pareça, a mulher não percebeu a condição que tinha, mesmo tendo menstruações com grande fluxo e dores quando usava absorvente interno. “Percebi, então, que minha mentruação era abundante ​​porque eu sangrava pelos dois colos do útero, mas nunca pensei em nada disso. Eu apenas assumi que era normal’. Por fim, a família está bem e a gestação foi um sucesso.