Mulher com Síndrome de Turner dá à luz gêmeos em caso considerado “milagroso”

Sâmela Fagundes, de 36 anos, foi diagnosticada com a doença quando tinha 2 meses de vida. A síndrome afeta o desenvolvimento do ovário e a fertilidade das mulheres

Resumo da Notícia

  • Sâmela Olak Martins Fagundes, de 36 anos foi diagnosticada com síndrome de Turner quando tinha dois meses de vida
  • A síndrome de Turner afeta o cromossomo X, responsável pelas características femininas da mulher, incluindo o desenvolvimento do ovário e a fertilidade
  • Depois de passar por tratamentos hormonais e fertilização in vitro,  Sâmela deu à luz a João e Davi

“Foi um milagre”, é o que diz Sâmela Olak Martins Fagundes, de 36 anos, sobre o nascimento dos filhos João e Davi. Ela foi diagnosticada com síndrome de Turner quando tinha apenas dois meses de vida, condição onde os ovários da mulher não se desenvolvem e tornam a gravidez quase impossível. Apesar de saber que a gestação seria um desafio, a paranaense e o marido não pensaram em desistir nem uma vez. Assim, graças ao tratamento com hormônios e a fertilização in vitro, Sâmela e Renato deram boas-vindas aos gêmeos em julho de 2019!

-Publicidade-
Samêla engravidou de gêmeos em caso raro para pacientes com sindrome de Turner (Foto: Arquivo pessoal)

“Quando eu descobri que não poderia engravidar, aos 15 anos, eu ainda não tinha maturidade para pensar o que isso significava”, conta Sâmela. A síndrome de Turner afeta o cromossomo X, responsável pelas características femininas da mulher, incluindo o desenvolvimento do ovário e a fertilidade.

Ela iniciou o tratamento com hormônios aos 7 anos de idade, mas somente com 19, quando começou a namorar com Renato, que a ficha caiu e ela começou a se preocupar. “Confesso que foi difícil, fiquei muito triste e chateada. Quando eu contei para o meu marido ele ficou muito triste, mas nós permanecemos juntos”, diz ela. “Mas senti que poderia haver um milagre”, conta.

-Publicidade-
Os gêmeos nasceram depois de tanta espera (Foto: Arquivo Pessoal)

Depois de 11 anos de casados, Sâmela e Renato acharam que era a hora certa de tentar formar uma família. “Eu sempre tive o desejo de ter filhos e sei que a maternidade não é fácil”, diz ela. Foi quando os dois procuraram pela equipe do Dr. Vinícius Stawinski, especialista em reprodução humana. “Ele disse que haveria sim a possibilidade, pela fertilização in vitro. Foi muito bom ouvir isso, então nós partimos para o tratamento”, conta.

A técnica, segundo o médico, é o melhor caminho para mulher com o mesmo problema conseguirem realizar o sonho da maternidade. “Muitos casais como a Sâmela e o Renato, podem hoje constituir suas famílias através das técnicas da medicina reprodutiva”, explica o especialista.

Renato e os filhos, João e Davi (Foto: Arquivo Pessoal)
Sâmela e os gêmeos (Foto: Arquivo Pessoal)

Na segunda tentativa do tratamento Sâmela engravidou dos gêmeos, João e Davi. Segundo os pais, todos os parentes e amigos ficaram muito felizes com a notícia, ainda mais por ser em “dose dupla”. A gestação foi muito tranquila, como ela conta, e os bebês nasceram com 38 semanas de gestação. Estima-se que 98% das mulheres com síndrome de Turner sofrem aborto – o que torna o caso da família ainda mais especial.

A maternidade chegou para mudar a vida de Sâmela e, como conta, mostrou que ela é muito mais forte do que imaginava. “Foi uma sensação maravilhosa e muito gratificante me tornar mãe. Nós conhecemos muitas histórias, mas só passando na pele para entender”, afirma.

A forma única como a gestação aconteceu surpreendeu ela mesma. “Na minha condição de síndrome de Turner eu nunca tinha ouvido falar de gravidez, inclusive eu procurei por algum vídeo ou reportagem sobre mulheres que conseguiram, mas não consegui encontrar. Minha vida já é um milagre, a deles foi outro”, finaliza.

-Publicidade-