Mulher cria instituto de combate ao câncer após perder filha para doença

O objetivo dela é trazer o tratamento CAR-T Cells, que aumenta a imunidade das células contra a doença, ao Brasil

Resumo da Notícia

  • Mãe perdeu a filha para o câncer em 2019
  • Ela criou um Instituto para combater a doença
  • O projeto tem o objetivo trazer ao Brasil o tratamento CAR-T Cells
 

A mãe Luzia criou um Instituto de Combate ao Câncer, após perder a filha, Fernanda, para a doença em 2019. A mãe decidiu transformar a dor em um gesto de amor por outras pessoas.

-Publicidade-

O projeto, que foi nomeado de “Instituto Fernanda Gaigher”, possui parceria com o Dr. Vanderson Rocha, professor da Universidade de São Paulo (USP) e teve o apoio do filho, Bruno. O instituto tem o objetivo de realizar pesquisas laboratoriais para encontrar a cura da doença. Além de reduzir o número de mortes causadas pela doença.

Família perde a filha para o câncer
Família perde a filha para o câncer
(Foto: Reprodução / Luzia)

Segundo Luzia, Fernanda faleceu um dia antes de realizar um tratamento que poderia salvar a sua vida, o (CAR-T Cells). “A dor da separação nunca será maior do que o amor que nos uniu… ele reinventa formas de conexão e pulsa no coração. Eu e minha família temos a missão de levar esse amor adiante e é isso que nos motiva”, afirmou ela.

Esse tratamento retira as células de defesa do organismo do paciente e acrescenta substâncias que poderão combater, especificamente, o câncer. Ele já tem sido usado em outros países como os Estados Unidos, Israel, Reino Unido e Luzia tem trabalhado para trazer ao Brasil.