Mulher dá à luz durante coma induzido e descobre semanas depois: “Pensei que a tinha perdido”

Danúbia Leida, de 38 anos, só conheceu a filha recém nascida 17 dias após o parto e por vídeo chamada

Resumo da Notícia

  • A mulher deu à luz menina durante coma induzido devido a complicações da Covid-19
  • O caso ocorreu em outubro do ano passado, mas ganhou repercussão este mês
  • Danúbia Leida, de 38 anos, só conheceu a filha recém nascida 17 dias após o parto

Danúbia Leida, de 38 anos, só conheceu a filha recém nascida 17 dias após o parto e por vídeo chamada. A mulher deu à luz menina durante coma induzido devido a complicações da Covid-19. O caso ocorreu em outubro do ano passado, mas ganhou repercussão este mês após uma publicação da mãe agradecendo aos profissionais de saúde que cuidaram dela e da filha.

-Publicidade-

“Quando acordei do coma, a primeira coisa que fiz foi colocar a mão na minha barriga. Eu não sabia onde estava, não sabia o que tinha acontecido e pensei que tinha perdido o bebê. Não me recordava da cesárea. Depois que saí literalmente do coma, foi feito uma vídeochamada e pude vê-la [a filha]”, contou a mãe.

Danúbia venceu a Covid-19 (Foto: Reprodução/ G1)

Agora, a menina de quatro meses e Danúbia estão bem, mas sempre que pode, a catarinense alerta amigos, parentes e familiares sobre o perigo do novo coronavírus. Além de agradecer os profissionais de saúde, Danúbia também destacou a importância da prevenção contra a doença. Hoje ela ainda precisa de cuidados por causa de uma trombose pulmonar, desenvolvida após contrair a doença.

-Publicidade-
A mãe conheceu a filha 17 dias após o parto (Foto: Reprodução/ G1)

“Hoje, em meio a esses números assustadores, tenho medo, fico imaginando passar por tudo novamente, ou ter familiares, parentes, amigos nessa situação, muito pior do que a minha época”, escreveu ela nas redes sociais.

“Eu também não acreditava, nem levada a sério a doença. Tem que se cuidar, a vacina está aí. Temos que usar máscara e álcool em gel. A gente só acredita na realidade e na gravidade da doença quando tem um doente na família”, concluiu ela.

-Publicidade-