Mulher encontra mãe biológica depois de 53 anos enquanto procurava irmã gêmea

Miriam Ramos usou as redes sociais para procurar ajuda e foi surpreendida quando uma pessoa se prontificou a conseguir o contato com a idosa de 93 anos

Resumo da Notícia

  • Uma mulher encontrou a mãe biológica ao tentar procurar a irmã gêmea
  • O primeiro contato foi com uma das netas por email
  • As duas se viram pessoalmente na primeira semana de dezembro

Miriam Ramos, de 53 anos, acabou encontrando a mãe biológica por acidente. Pois é, ela estava em busca da irmã gêmea com ajuda de uma foto pessoal e teve essa surpresa.

-Publicidade-
O reencontro pessoalmente aconteceu no começo de dezembro (Foto: reprodução/G1)

De acordo com o G1, Miriam só tinha conhecimento do nome da mãe biológica, Isabel Batista dos Santos e o encontro foi possível graças a um comentário nas redes sociais. Um homem respondeu a publicação dizendo que poderia ajudá-la a encontrar a mulher de 93 anos.

Assim, ela aceitou e o primeiro reencontro entre mãe e filha aconteceu na primeira semana de dezembro, em Guarulhos, São Paulo, onde Isabel mora. Miriam também comentou que não havia procurado a mãe por receio que já tivesse falecido, devido a idade.

-Publicidade-

O início da conversa foi por email, com a neta de Isabel, mas rapidamente a filha quis conhecer a mãe pessoalmente. “Eu falei ‘oi, a senhora sabe quem eu sou?’ e ela me reconheceu. Me deu um abraço e disse que pediu a Deus todo esse tempo para me ver antes de morrer. Não acreditou que eu estava ali”, contou.

A mãe doou as filhas por não ter condições de cuidar (Foto: reprodução/G1)

Nessa oportunidade Miriam também pode encontrar outras irmãs e sobrinhos. “Ela passou o dia me contando histórias da família“, explicou.

A mulher de 53 anos conta que o encontro com a mãe trouxe ainda mais esperança para encontrar a irmã gêmea, da qual foi separa na maternidade da Santa Casa de Santos, litoral de São Paulo em 1967. Segundo a idosa, ela doou as filhas por não ter condições de cuidar delas naquela época.

“Ela não tinha o apoio de ninguém, foi ao hospital sozinha quando a bolsa estourou, às 5h. Nosso pai era uma pessoa muito ruim com ela”, disse.

-Publicidade-