Mulher fica com barata dentro do ouvido por 24 horas: “Acordei desesperada”

Uma mulher passou 24 horas com uma barata presa dentro do ouvido. Ela tentava procurar ajuda médica mas não havia especialistas ou materiais necessários para fazer o procedimento

Resumo da Notícia

  • Uma mulher passou 24 horas com uma barata no ouvido
  • Ela tentou buscar ajuda médica
  • Mas não havia especialistas ou materiais necessárias para o procedimento

Uma mulher ficou mais de 24 horas com uma barata dentro do ouvido em Cabo Frio, no Rio de Janeiro. Aline Lopes contou que no último domingo, 05 de junho, ela acordou de madrugada desesperada ao perceber que o inseto estava no ouvido.

-Publicidade-

Ela disse ao g1 que estava na casa da sogra quando aconteceu, na hora ela decidiu ir ao hospital do bairro, mas não havia especialista de plantão e nem material necessário para o procedimento de retirar o inseto. Aline foi orientada a buscar atendimento em Macaé ou em São Pedro da Aldeia. Porém, chegando em São Pedro de Aldeia, os enfermeiros tentaram um procedimento com um sugador mas não tiveram sucesso.

“Uma doutora tentou tirar o bicho com o sugador e começaram a mexer no meu ouvido de novo, que já tava com o tímpano muito machucado por conta da barata e por conta do alicate que estavam enfiando. Eu sentia muita dor e eles me sedaram”, disse Aline.

Os profissionais do local tentaram uma transferência da mulher para um hospital do Rio, mas não havia vaga. Foi quando, no dia seguinte, o médico otorrinolaringologista particular Dr. André Defaveri descobriu sobre o caso e se ofereceu para retirar a barata.

Mulher fica com barata dentro do ouvido por 24 horas
Mulher fica com barata dentro do ouvido por 24 horas (Foto: Reprodução/Aline Lopes -Arquivo Pessoal)

O portal entrou em contato com a Prefeitura de Cabo Frio e de São Pedro da Aldeia para falar dos atendimentos prestados:

“A Secretaria de Saúde informa que a paciente, moradora de Cabo Frio, deu entrada no Pronto Socorro de São Pedro no domingo (05/06), com relato de corpo estranho no ouvido direito (barata). A paciente relatou também que estava em outro hospital e que houve a tentativa de retirar, porém sem sucesso. A gestão municipal solicitou avaliação do otorrinolaringologista, onde foi regulada via SER – Sistema Estadual de Regulação, negada pelo Hospital Estadual Roberto Chabo (HERC), referência na região, por ser fora do perfil da unidade. A Secretaria de Saúde solicitou, ainda, a vaga zero (urgência) à Central Estadual de Regulação e fez contato com o município de Cabo Frio, onde conseguiu o atendimento com o otorrino do ambulatório do PAM cabofriense. Ao comunicar a paciente, a mesma informou que havia conseguido atendimento em uma clínica particular”.

“A Prefeitura de Cabo Frio informa que o atendimento à paciente em questão foi realizado na emergência do Hospital Otime Cardoso dos Santos. Por se tratar de um caso específico, em que é necessária a atuação de médico especialista, foi agendado atendimento no PAM de São Cristóvão, para hoje [nesta segunda], às 11h, com um otorrinolaringologista. Contudo, a paciente conseguiu atendimento antes deste horário em clínica particular”. Porém, Aline afirmou que não foi informada sobre o agendamento feito no PAM.