Mulher fica em chamas e sofre queimaduras graves ao tentar acender churrasqueira

Uma mulher, ao ascender a churrasqueira para o almoço em família, foi pega pelo fogo e teve queimaduras de segundo e terceiro grau

Resumo da Notícia

  • A mulher sofreu queimaduras graves após ascender as churrasqueira
  • Ela preparava o almoço familiar, tradicionalmente realizado aos domingos
  • A vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada ao hospital

O que era para ser um almoço de confraternização em família, se tornou um grande acidente doméstico. Uma mulher ficou em chamas após explosão ao tentar acender churrasqueira. O caso aconteceu neste domingo, 20 de março – na Rua José Percival Sobrinho, na cidade de Curitiba, no Paraná.

-Publicidade-

A mulher preparava o churrasco da família, quando foi surpreendida pelo fogo tomando grande parte do seu corpo. Segundo depoimentos familiares ao portal Banda B, a explosão aconteceu após a responsável pelo almoço dar início ao procedimento de ascender a churrasqueira manual.

Mulher é queimada após acender churrasqueira (Foto: Reprodução/Freepik)

“Eu só escutei um estouro muito grande, mas achei que fosse o cachorro dela que vive derrubando as coisas. Mas daí ouvi gritos de horror da minha sobrinha. Corri pra lá e ela estava em chamas”, disse Elenita, cunhada da vítima.

Em complemento, a familiar disse que o mulher que foi pega de surpresa pelo fogo, é muito ligada aos cuidados de beleza. “Ela é muito vaidosa, agora tá tudo queimado. Ainda bem que no rosto não foi muito, mas no corpo sim”, finalizou. A vítima foi atendida pelo Corpo de Bombeiros do Paraná e encaminhada ao hospital da região.

Acidentes domésticos com fogo e álcool gel

um vídeo viralizou nas redes sociais e chamou a atenção para um assunto importante: riscos de queimaduras depois do uso de álcool gel. Na gravação, nada parecia estar acontecendo com um álcool gel dentro de um recipiente até que uma folha de papel é aproximada e queima em questão de segundos. Wagner Contreras, conselheiro do Conselho Federal de Química e gerente de fiscalização do Conselho Regional de Química de São Paulo, padrasto de Thales e pai do Thomas, afirma que o vídeo é verdadeiro e alerta para os riscos na hora de usar esse produto nas mãos. 

“É possível se queimar após o uso do álcool gel. Por exemplo, se você acaba de passar mas não espera um tempo para evaporar e vai logo para o fogão, pode sofrer alguma queimadura com o resíduo que ainda está na mão, e, dependendo da quantidade, ela pode ser séria”, alerta. Dessa forma, depois de espalhar o produto não vá até o forno ou churrasqueira e nem acenda um cigarro. Esperar algum tempo pode fazer toda a diferença. 

A principal questão, como aponta o vídeo que circulou no WhatsApp é a ausência de chama em queimaduras de álcool gel. “O álcool na forma líquida evapora mais rapidamente e esses vapores, no momento em que aciona a chama, também sofrem combustão, fazendo com que a chama vá alto. No gel, essa chama é muito baixa, quase imperceptível e, por isso, as pessoas não notam que ali há um foco de fogo”, pontua. Kátia Zutin, química, mãe de Arthur e Daniel, garante: “Porém, após o uso, com as mãos secas, o risco é praticamente nulo”.  Para ler a matéria completa, clique aqui.