Mulher perde filho em assalto e adota 18 crianças: “Virei outra pessoa”

No meio do caminho ela perdeu um dos filhos biológicos

Coração de mais sempre cabe mais um, né? (Foto: Reprodução/G1)

Cleusa Ribeiro dos Santos Nascimento tem 45 anos e 18 filhos. Ela sempre viveu em uma casa cheia, os pais dela tiveram oito filhos e quando ela se casou, aos 16 anos, começou a perceber que estava muito sozinha e cansada da rotina calma do casal.

-Publicidade-

Depois de dois filhos biológicos ela ainda não estava satisfeita e propôs ao marido, Jorge, que eles adotassem mais uma criança, eles só não sabiam que iam bater o número de 20 filhos e mesmo com o orçamento apertado, ela diz amar ter tantas crianças por perto.

Ela contou para o G1 que, a primeira adoção aconteceu em 2007, quando os filhos biológicos, Laiane e Rafael, estavam entrando na adolescência. Cleusa, que mora na Praia Grande, foi até um abrigo em São Vicente para conhecer a futura filha adotiva. Mas a adoção só aconteceu em 2008 e já foram seis irmãos de uma vez só.

-Publicidade-

“Deus colocou um desejo muito grande que eu queria aquelas crianças de qualquer jeito. Fui no fórum para ver se conseguia e, chegando lá, a assistente falou que eu estava ficando louca, falou que não era para adotar”, contou em entrevista ao G1 .

Em 2009 ela estava com 5 dos seis irmãos, um deles tem paralisia cerebral e o processo de adoção foi um pouco mais longo, mas deu certo! E no meio de todo esse longo caminho, ela conheceu mais duas crianças e entrou com o pedido de adoção.

Então no final de 2010 já eram dois filhos biológicos e 8 filhos do coração. Em 2011, Cleusa adotou mais 2 irmãos e em 2012, ela bateu a marca de 12 filhos e já podia estrelar o ’12 é demais’ da vida real. Só que 2013, foi o ano que mudou de vez a história dessa mãe.

Com 13 filhos adotivos, ela perdeu Rafael. O filho biológico foi morto em uma tentativa de assalto. “Ele foi pegar o carro, um bandido chegou para assaltar e deu uma facada. Ele morreu na hora”, contou Cleusa. E mesmo com essa perda, ela não perdeu a vontade de cuidar da família.

Meses depois desse acontecimento, ela estava entrando em mais um processo de adoção. “Meu marido falou que não ia adotar, mas acabou gostando da Letícia porque ela era muito palhaça. Ela alegrava o pai”, explicou. Em 2015 já eram 18 filhos adotados.

Hoje, vivendo com ela são apenas 15 e mesmo assim os gastos da família chegam a 9 mil reais por mês e 2kg de feijão, 2,5 kg de arroz, 3 kg de mistura e 12 litros de suco são consumidos todos os dias. Ela diz ao G1 que não trocaria a vida dela por nada.

“Hoje eu aprendi a repartir o que eu tenho. Tudo que tenho eu penso nos outros. Depois que adotei eu virei outra pessoa, eu cresci. É um sonho realizado. Não sei se eu quero adotar mais, mas eu gostava de ser lar de apoio. Sinto saudade de trazer criança para casa”, encerrou.

Leia também: 

Relato de adoção: “Ele sempre foi nosso filho, só demoramos para nos encontrar”

Por que o número de crianças para adoção é muito menor do que o dos interessados para adotar? 

Adoção passo a passo 

-Publicidade-