Mulher que fez ‘diário da covid-19’ reencontra neta e filha depois de 33 dias internada: “Nasci de novo”

Gislaine Maragno Pereira, de 46 anos, registrou cada um dos dias que passou no hospital e comentou a emoção de poder, finalmente, abraçar os familiares

Resumo da Notícia

  • Gislaine Maragno Pereira, de 46 anos, passou 33 dias internada com covid-19
  • No dia 19 de março ela teve alta hospitalar, mas teve que ficar em isolamento da própria família por 10 dias
  • No último domingo, 28 de março, a avó pode reencontrar e abraçar a neta e filha

Gislaine Maragno Pereira, de 46 anos, passou 33 dias internada com covid-19, finalmente teve alta e conseguiu se reencontrar com a filha e com a neta no último domingo, 28 de março. Mesmo ela tendo tido alta hospitalar no dia 19 de março, por recomendação médica ela ficou em isolamento dos parentes que moram na casa por 10 dias.

-Publicidade-

Após estado grave da doença, a mulher descreveu a sensação de poder abraçar os familiares novamente. “Depois da alta do hospital, com incertezas de alguma chance de vida, melhoras e recaídas, de ver a morte de frente e dos lados, medos, angústias , desespero, hoje acabou meu isolamento no quarto sem chegar perto da minha família. O sentimento é de vida nova, nasci de novo. Sentimento de vitória”, explica.

A paciente conseguiu reencontrar a família após 33 dias internada com covid-19 (Foto: Reprodução/ Instagram)

Ela ainda adicionou sobre a doença: “Eu venci um vírus violento e letal. Vou aproveitar cada sopro da vida que entra em meus pulmões, viver a vida intensamente. O melhor lugar do mundo é dentro de um abraço”.

-Publicidade-

A paciente fez ‘Diário da Covid-19’

No chamado ‘Diário da Covid-19’, Gislaine registrou todos os dias da internação, inclusive o adeus aos colegas de quarto e os passos rumo à própria recuperação.  “Achava que ia morrer e queria mostrar a realidade para salvar vidas, alertar e não acontecer com outras pessoas. Ficava olhando o monitor e procurava me acalmar. Sensação era de que estava numa piscina funda e não conseguia subir para superfície. Imaginava a piscina e acalmava, pensando em flutuar. O segredo é a calma e equilibrar a ansiedade”, disse.

A avó explicou que foi diagnosticada com covid-19 entre os dias 18 e 20 de fevereiro deste ano. Com a piora no quadro, decidiu guardar tudo o que viu e passou e o G1 colocou as anotações da mulher em ordem cronológica, confira:

Gislaine Maragno Pereira fez registros diários durante internação com covid-19 (Foto: Reprodução/ G1)
Gislaine Maragno Pereira fez registros diários durante internação com covid-19 (Foto: Reprodução/ G1)
Gislaine Maragno Pereira fez registros diários durante internação com covid-19 (Foto: Reprodução/ G1)