Mãe que foi trancada no banheiro de casa pelo marido há mais de 1 ano é resgatada

A indiana foi encontrada desnutrida e suja de excrementos. Segundo as autoridades locais, o homem alega ter feito isso por causa de um distúrbio mental da esposa

Resumo da Notícia

  • Uma mulher que foi trancada há mais de um ano no banheiro de casa pelo marido foi resgatada por autoridades indianos na última terça-feira
  • O homem alega que a esposa sofre de uma doença mental e por isso foi presa no cômodo
  • O caso, que aconteceu em Nova Delhi, tinha o consentimento dos filhos da mulher
 

Uma mulher que foi trancada há mais de um ano no banheiro de casa pelo marido foi resgatada por autoridades indianos na última terça-feira, 13 de outubro. O homem alega que a esposa sofre de uma doença mental e por isso foi presa no cômodo. O caso, que aconteceu em Nova Delhi, tinha o consentimento dos filhos da mulher.

-Publicidade-
A mulher foi resgatada na terça-feira (Foto: Reprodução / alkhaleejtoday)

O resgate só aconteceu após o o departamento de Proteção à Mulher e Proibição do Casamento Infantil Rajni Gupta receber uma denúncia da situação. Com 39 anos, a mulher foi encontrada desnutrida e suja de excrementos. As informações são do portal AlKhaleej Today. 

Segundo o vice-superintendente da Polícia Distrital de Panipat, Satish Kumar, o marido foi preso pelo cativeiro, enquanto a esposa se mudou para a casa de outros parentes e está sendo cuidada. Kumar também informou que a mãe não parece apresentar distúrbios mentais, como havia sido alegado pelo indiano.

-Publicidade-
Os filhos sabiam da condição da mãe (Foto: Reprodução / alkhaleejtoday)

Mesmo assim, exames estão sendo feitos para confirmar qual é a condição da mulher. Segundo a Human Rights Watch (HRW), situações como essa não são raras em países em desenvolvimento. “As pessoas podem passar anos acorrentadas a árvores, trancadas em jaulas ou celeiros porque as famílias têm dificuldades para lidar com o problema e os governos não fornecem serviços de saúde mental adequados”, explica a pesquisadora e uma das autoras do relatório, Kriti Sharma.

-Publicidade-