Família

“Não interessa se é pai ou mãe. O que importa é cumprir o papel de cuidado e amor”, relata Peterson Rodrigues

Peterson se tornou pai de Lucas por meio da adoção e hoje tem uma vida de pai e filho – como sempre procurou e desejou

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto; arquivo pessoal)

(Foto; arquivo pessoal)

Aqui no projeto Lá em Casa é Assim, parceria da Pais&Filhos com a Natura Mamãe e Bebê, recebemos diversas histórias que provam que não importa a configuração, o que vale de verdade em uma família é o amor.

O Peterson Rodrigues mandou sua história para a gente e contou como se tornou pai de Lucas por meio da adoção. Para ele, não importa se é pai ou mãe – o que importa é cumprir o papel de cuidado e amor com os filhos. Após a chegada de Lucas, ele ainda fundou uma ONG, a ELO – Organização de Apoio à Adoção, que está em diversas cidades do Rio Grande do Sul espalhando amor e falando sobre adoção.

Vem conhecer essa linda família:

“Em 2013, resolvi voltar a fazer algum trabalho voluntário e fui procurar na internet e, por acaso (ou não), havia uma chamada de último dia de inscrição para o programa de apadrinhamento afetivo organizado pelo Instituto Amigo de Lucas em Porto Alegre, que eu não sabia o que era.

Vi na hora que envolvia crianças e abrigos, então me interessei. Mesmo sendo de Gravataí, região metropolitana, consegui me inscrever, pois na minha cidade não consegui contato com ninguém sobre apadrinhamento e até hoje dizem que existe, mas nunca ninguém viu, nem sabem como fazer para apadrinhar uma criança.

O bacana é que cheguei à primeira oficina sem saber ao certo o que iria acontecer, achando que me barrariam em algum momento até mesmo pela minha orientação sexual, ou então que nenhuma criança iria me querer e acabei percebendo que o preconceito era meu. Após diversas oficinas de preparação (em junho), juntar toda documentação (a mesma que para adoção) e entrevista, finalmente chegou o dia da festa o