“Não sou ladra”: Mulher deixa bilhete após pegar produtos de uma “mesa da honestidade” para alimentar a família

Aline Ketline foi surpreendida com um bilhete deixado em uma caixinha que fica em cima da mesa onde vende faz as vendas dos produtos. Na mensagem, uma mulher alegou que cometeu o ato para poder alimentar a família

Resumo da Notícia

  • Em meio a crise do país, uma mulher foi surpreendida com um bilhete deixado na caixinha do seu negócio
  • No bilhete deixado por outra mulher, estava escrito que ela havia pego os produtos sem pagar para alimentar a família
  • A empresária afirma que irá aguardar o seu retorno para poder ajudá-la

Na cidade de Santos, localizada no litoral de São Paulo, Aline Ketline Mendes vende os laços infantis que fabrica através de uma “mesa da honestidade”, uma iniciativa que permite que os clientes coloquem o dinheiro da compra em uma caixinha ao lado. Entretanto, a artesã contou com exclusividade para o portal de notícias do G1 que esta semana se surpreendeu com o que uma mãe deixou após levar dois acessórios sem pagar.

-Publicidade-

Por volta das 18 horas, Aline recolhe tanto a mesa quanto os produtos que ficam disponíveis no bairro Boqueirão e os leva para casa para contar quanto lucrou e vendeu no dia. Contudo, quando ela chegou no lar percebeu que havia uma carta dentro da caixinha, e confessou que, primeiramente, achou que era um elogio pela iniciativa, mas que na verdade era o relato da mulher.

Bilhete deixado por uma anônima em situa~]ao de vulnerabilidade
Bilhete deixado por uma anônima em situação de vulnerabilidade (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal/Aline Ketline Mendes)

 

“Não sou ladra, peguei o laço para vender na vizinha e poder comprar comida [para] a minha família. Vou te pagar”, diz o bilhete deixado na mesa. Sem dinheiro, ela confessou que levou os produtos para conseguir comprar comida para a família com o que arrecadasse da revenda.

Quando li a carta, foi uma mistura de tristeza muito grande, de ver de perto que a situação das pessoas está difícil, e ao mesmo tempo uma esperança, pois a pessoa poderia levar os laços embora e não se identificar”, respondeu ela em entrevista. Sensibilizada, a artesã decidiu compartilhar o bilhete nas redes sociais e afirmou ainda que irá aguardar o retorno dela.

“Tenho certeza que ela vai entrar em contato comigo, e eu vou propor para ela revender os laços de uma maneira mais correta. Estaria oferecendo apenas uma oportunidade. As pessoas são honestas, mas estão enfrentando dificuldades”, lamentou a artesã para o G1. “Se a situação do país continuar assim, com os preços nas alturas, essas cartas se tornarão cada dia mais comuns”.

Aline, felizmente, teve o lucro triplicado com a iniciativa da ‘mesa da honestidade’ que fica em exposição durante três vezes na semana. A iniciativa se tornou um sucesso nas redes sociais, fazendo com que 100% da renda da família venha hoje do negócio.

Produtos vendidos por Aline
Produtos vendidos por Aline na “mesa da soliedariedade” (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal/Aline Ketline Mendes)