“Não via a hora de ver você”: jogador brasileiro que saiu da Ucrânia se emociona ao reencontrar mãe

Guilherme Smith é jogador de futebol do Zorya e estava na zona de guerra da Ucrânia. Na última sexta-feira, ele desembarcou no Brasil e conseguiu reencontrar a família

Resumo da Notícia

  • O jogador brasileiro Guilherme Smith chegou ao Brasil na última sexta-feira, 04 de março
  • Ele escapou da zona de guerra da Ucrânia
  • Guilherme registrou o momento do reencontro com a mãe

Na última sexta-feira, 04 de março, Guilherme Smith chegou ao Brasil após ter escapado da zona de guerra na Ucrânia. Atleta do Zorya, o jogador de futebol desembarcou no Rio de Janeiro e finalmente pôde encontrar sua família após viver momentos de terror em solo ucraniano.

-Publicidade-

No aeroporto, além de repórteres e admiradores do jogador, também esperavam por Guilherme a mãe, Dona Sueli, o pai, Luiz Cláudio de Carvalho, e outros membros da família do atleta. Usando as redes sociais, ele compartilhou o momento em que finalmente se reencontrou com a mãe.

Por meio dos stories do Instagram, Guilherme publicou um registro ao lado de Dona Sueli. Em cima da imagem, ele escreveu: “Mamãe, não via a hora de ver você”. O pai do jogador, Luiz Cláudio, também registrou a chegada do filho em uma live no Instagram.

Guilherme Smith se reencontra com a mãe após escapar da guerra na Ucrânia
Guilherme Smith se reencontra com a mãe após escapar da guerra na Ucrânia (Foto: Reprodução Instagram @guilherme.smith_11)

Jogadores brasileiros e familiares conseguem deixar bunker na Ucrânia

Um grupo de jogadores brasileiros que estavam na Ucrânia conseguiu sair do país com seus familiares. O grupo estava escondido dentro de um bunker em um hotel na Ucrânia, os atletas do Dnipro, Felipe Pires (ex-Fortaleza), Busanello e Bill, conseguiram deixar o país e devem chegar no Brasil neste domingo (27).

O trajeto foi realizado em comboio de carros próprios com destino a uma estação de trem, ainda na Ucrânia. A locomoção por trem foi proposta pelo consulado brasileiro em Kiev, que organizou uma estação na capital ucraniana como ponto de partida e sem a necessidade de comprar passagens, o destino final é a Romênia

No primeiro momento, o grupo de brasileiros se negou a fazer o trajeto porque alegaram falta de segurança, já que precisariam deixar o hotel, a dois quilômetros da estação, à noite, quando acontecem os bombardeios russos. Felizmente todos estão a salvo e aguardam ansioso para retornar o Brasil.