NASA divulga vídeo com primeiras imagens de Vênus em luz visível

Segundo os cientistas essa descoberta irá ajudar a entender porque é conhecido como planeta ‘gêmeo da Terra’

Resumo da Notícia

  • A NASA divulgou um vídeo de Vênus na semana passada
  • O vídeo mostra o planeta em luz visível
  • Segundo os cientistas a descoberta irá ajudar a entender porque chama o planeta de 'gêmeo da Terra'

A NASA divulgou na semana passada um vídeo explicando como conseguiram encontrar imagens do planeta Vênus em luz visível. Segundo os cientistas essa descoberta irá ajudar a entender porque é conhecido como planeta ‘gêmeo da Terra’.

-Publicidade-

A descoberta também pode ajudar a aprender mais sobre a geologia da superfície de Vênus, quais minerais podem estar presentes lá e como se dá a evolução do planeta. Vênus é hoje inabitável, dada as temperaturas extremas e a existência de adversidades como nuvens tóxicas, mas pesquisadores desconfiam que nem sempre foi assim e defendem que informações como as captadas pela missão podem ajudar na busca para entender por que Vênus se tornou inóspito e a Terra se tornou um oásis.

A imagem da direita mostra Vênus em um radar
A imagem da direita mostra Vênus em um radar (Foto: Reprodução/YouTube)

Envolta em nuvens espessas, a superfície de Vênus é geralmente encoberta. Mas, em dois sobrevoos recentes do planeta, a sonda Parker usou seu Wide-Field Imager, ou WISPR, para visualizar todo o lado noturno em comprimentos de onda do espectro visível, ou seja, do tipo de luz que o olho humano pode ver.

As imagens, combinadas em um vídeo, revelam um leve brilho da superfície que mostra em diferentes tonalidades, características distintas do planeta, como a localização de regiões continentais, planícies e planaltos. Como as regiões de maior altitude são mais frias do que as áreas mais baixas, elas aparecem como manchas escuras em meio às planícies mais brilhantes.

Assim, é possível ver diferentes características na superfície venusiana, como a região continental Aphrodite Terra, o planalto Tellus Regio e as planícies Aino Planitia. Também foi identificado um halo luminescente de oxigênio, que pode ser visto ao redor do planeta.