Neymar desabafa e fala que pensa na família quando começa a ser vaiado durante os jogos

O atacante do PSG e da Seleção Brasileira, contou que se apega na família nos momentos que é atacado durante os jogos. Além disso, acrescentou que se sente chateado quando é vaiado nas partidas de futebol

Resumo da Notícia

  • O Neymar contou que pensa na família quando começa a ser atacado durante as partidas de futebol
  • O atleta ainda acrescentou se sente chateado quando essas situações acontecem
  • Ele já foi vaiado nos jogos do PSG e da Seleção Brasileira

O Neymar, atacante do PSG e da Seleção Brasileira, falou durante uma live realizada no Instagram, com o Diego Ribas, do Flamengo – como ele lida com as vaias que recebe da própria torcida em diferentes situações e jogos. No depoimento, o camisa 10 do time francês contou que esse tipo de situação o deixa triste, mas que busca forças ao pensar no carinho que recebe de amigos e familiares durante a carreira.

-Publicidade-

O atleta complementou sua fala ao dizer que, quando a torcida está a seu favor, ele tem uma razão a mais para se fortalecer em campo. Mas, ainda se mostrou consciente ao saber que o ânimo dos fãs pode mudar durante o jogo. Sendo assim, ele precisa se apegar aos sentimentos que não mudam – como, por exemplo: o de sua família.

“Ninguém gosta de ser vaiado, ainda mais jogando em casa. É chato, é triste. Já aconteceu comigo aqui no PSG, na seleção e fiquei triste. Não fiquei confortável, mas tive que buscar força de algum lugar. Aí, vem tudo o que você viveu até aquele momento”, desabafou o Neymar.

Neymar fala que se apega na família quando é atacado durante os jogos
Neymar fala que se apega na família quando é atacado durante os jogos (Foto: Reprodução / Instagram @neymarjr)

Além disso, o jogador conta que quando vivencia esses momento, imediatamente ele se recorda da família, bem como de sua trajetória no âmbito profissional. “Lembrei da minha infância, das pessoas que me ajudaram. Eu penso em jogar por quem está torcendo por mim de verdade, não por quem está me vaiando. Eu sei que meu filho está torcendo, minha família. Por que me abater com as vaias? Tem jogo que a gente joga para torcida, quando está tudo bem”, disse.

Mas, como nem todo mundo é de ferro, ele contou que nos momento mais difíceis ele tenta se apegar naquilo o deixa mais tranquilo. “A gente dá show. Mas tem dia, nos momentos ruins, que tem que se apegar à família. Nesses momentos de vaia, meus pensamentos sempre foram para a família”, finalizou.