Notícia boa: China zera transmissão local de coronavírus pela primeira vez em três meses

Desde o início da epidemia, em dezembro de 2019, o país conseguiu controlar pelas primeiras 24 horas que novos casos locais da doença não aparecessem

Resumo da Notícia

  • A China comemorou por nenhum caso local de coronavírus aparecer em 24 horas
  • Foi a primeira vez em três meses de surto que isso aconteceu no país
  • O vírus surgiu em dezembro de 2019, em Wuham, na China
  • Desde dezembro, já são 80.928 casos registrados no país
O país comemorou o primeiro marco (Foto: Getty Images)

Nas última 24 horas, a China comemorou o avanço de não ter registrado nenhum caso de transmissão local pelo novo coronavírus, de acordo com o The New York Times. Essa foi a primeira vez, desde o início da epidemia, que o país alcançou o marco em três meses de contágio.

-Publicidade-

Já na Itália e nos Estados Unidos, os países ainda estão sofrendo com a pandemia. No caso da China, com medidas rígidas, que foram colocadas em prática, eles alcançaram o primeiro objetivo. No início, isso acabou representando uma revolta pública contra o governo chinês, pois ele não sabia gerenciar o surto, além de atrelar punições aos médicos que quiseram elevar o grau de alerta.

O jornal afirma ainda que a partir destes erros iniciais, o surto acabou se espalhando de forma descontrolada pela cidade de Wuhan. Com a abordagem autoritária, diversos países tiveram o número elevado de contaminações rapidamente.

-Publicidade-

Apesar da boa notícia, o país ainda não está fora de perigo e pode enfrentar novas crises, pois zerar infecções locais não é o mesmo que fazer com que novos casos não apareçam. As autoridades afirmaram ainda que 34 novos casos vieram de outros países, o que mostra que ainda será difícil atingir o objetivo final. Desde dezembro de 2019, já houveram 80.928 casos do novo coronavírus, além de 3.245 mortes na China.

O vírus

O estuo foi divulgado por universidades dos Estados Unidos, Inglaterra e Austrália (Foto: Unsplash)

Um estudo divulgado pelas universidades dos Estados Unidos, Inglaterra e Austrália mostraram que o novo coronavírus apareceu naturalmente, a partir de uma seleção natural, e não foi feito em laboratório, como circulou em diversas teorias.

Na última terça-feira, 17 de março, a revista científica Nature Medicine, colaborou com a explicação de que não vírus teria sido criado pela China para obter vantagens econômicas neste período de crise mundial. No artigo, diz-se o seguinte: “Nossas análises claramente mostraram que o SARS-CoV-2 não é uma construção de laboratório ou um vírus manipulado propositalmente”.

O vírus sobre uma seleção natural (Foto: Unsplash)

A partir da análise de estrutura do vírus e também de experimentos bioquímicos, os estudiosos notaram duas características que o tornavam impossível de ser criado em laboratório. A primeira é a estrutura central do organismo, pois é distinta de qualquer outro vírus. Já a segunda, é o domínio de ligação ao receptor.

O estudo comprova ainda que a evolução do novo coronavírus se conecta facilmente aos hospedeiros, o que acontece por causa da seleção natural, pois passou por diversas mutações genéticas. Ou seja, ele consegue viver por mais tempo e se adaptar ao ambiente com mais facilidade.

O covid-19, com as mutações, ganhou a capacidade de se conectar de maneira mais simples com o hospedeiro. A origem do vírus ainda não conseguiu ser comprovada, mas estima-se que possa ter sido desenvolvida de hospedeiros humanos ou até mesmo de outras espécies como o morcego ou pangolim.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-