Nova linhagem do coronavírus é identificada no Rio de Janeiro por cientistas

A descoberta foi feita pelo Laboratório de Bioinformática, instituição do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI)

Resumo da Notícia

  • Cientistas do Laboratório de Bioinformática descobriram uma nova mutação do coronavírus no estado do Rio de Janeiro
  • Os pesquisadores sequenciaram 180 genomas do SARS-CoV-2 e identificaram uma nova linhagem do vírus circulando em Cabo Frio, Niterói e Duque de Caxias, além da capital
  • A descoberta já foi notificada para o Ministério da Saúde e à Secretaria de Saúde do Estado do Rio

Cientistas do Laboratório de Bioinformática, instituição do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), descobriram uma nova mutação do coronavírus no estado do Rio de Janeiro. Os pesquisadores sequenciaram 180 genomas do SARS-CoV-2 e identificaram uma nova linhagem do vírus circulando em Cabo Frio, Niterói e Duque de Caxias, além da capital.

-Publicidade-
A mutação está em estudo (Foto: Unsplash)

A descoberta já foi notificada para o Ministério da Saúde e à Secretaria de Saúde do Estado do Rio. Agora, o instituto de pesquisa se concentra em entender se a mutação é mais agressiva ou tem maior potencial de contágio do que a anterior. De acordo com a pesquisadora Ana Tereza Ribeiro de Vasconcelos, em entrevista a CNN, o surgimento da nova linhagem deve ter acontecido em julho.

A mutação está em estudo (Foto: Unsplash)

Ainda não se sabe como o surgimento das mutações irá interferir no desenvolvimento das vacinas. “Entretanto, é necessário a importância de estudos contínuos de vigilância genômica para análise da dispersão dessa nova linhagem e na identificação de novas variantes do SARS-CoV-2 no estado do Rio de Janeiro e no Brasil”, esclarece a cientista.

-Publicidade-

As análises da pesquisa sugerem que a linhagem B.1.1.28 , a subespécie do coronavírus que já circulava no Brasil, foi identificada em 38 dos 180 genomas sequenciados. Já a B.1.1.33, outro tipo do vírus, estava menos presente no material e foi considerada “em declínio”.

-Publicidade-