Nova vacina italiana pode ser a nossa salvação contra o coronavírus

A produção está em fase pré-clínica e deve começar a ser testada em pacientes com a covid-19 no país a partir de setembro deste ano. De acordo com o CEO da empresa que está financiando a iniciativa, os pesquisadores estão testando 5 possíveis produtos para imunizar a população da Itália

Resumo da Notícia

  • Cientistas italianos estão testando 5 vacinas contra o coronavírus, todas estão em estágio pré-clínico
  • Luigi Aurisicchio, CEO da empresa romana Takis Biotech que está financiando a iniciativa, disse que duas delas são as mais promissoras
  • Os testes em pacientes humanos deve começar a partir de setembro na Itália
De acordo com o mapa da Universidade de Johns Hopkins que mostra os dados de coronavírus no mundo em tempo real, a Itália tem 152.271 casos de infectados pela doença no país (Foto: Getty Images)

O mapa de da Universidade de Johns Hopkins, de Baltimore, Maryland, Estados Unidos, mostra em tempo real o número de infectados no mundo por coronavírus. De acordo com os dados da plataforma, a Itália tem 152.271 casos da doença, 19.468 mortes e 32.534 recuperados. Depois da China, o país foi o novo epicentro da doença e agora foi ultrapassado pelos EUA onde há 524.903 infectados pelo vírus.

-Publicidade-

Por isso, se empenharam em buscar uma solução, uma vacina que pudesse combater a covid-19 com eficiência e salvar milhares de vidas. Cientistas italianos têm conseguido sucesso nas primeiras fases do teste.

Em Bérgamo, na Itália, um mural em homenagem a todos os profissionais de saúde italianos que estão na luta contra o coronavírus no país (Foto: Getty Images)

Em entrevista à ANSA na última sexta-feira, 10 de abril, Luigi Aurisicchio, CEO da empresa romana Takis Biotech que financia a procura pela imunização, eles estão estudando cinco vacinas. Enquanto faziam os testes, conseguiram chegar em uma “forte produção de anticorpos”, porém ele alerta que estão na fase pré-clinica.

-Publicidade-

“Os primeiros resultados nos modelos pré-clínicos demonstraram a forte imunogenicidade das candidatas a vacina”, declarou Luigi, deixando claro que duas das cinco parecem mais assertivas. Os pesquisadores trarão novas informações em maio e os testes em pacientes infectados começam a partir de setembro.

Segundo a Isto É, as cinco vacinas tem uma tecnologia conhecida pelos médicos como eletroporação, eles usam impulso elétrico no músculo para elevar a permeabilidade das membranas celulares nos humanos.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-