Novo tipo de coronavírus é descoberto em morcegos

Batizado de NeoCoV, patógeno é próximo ao Mers-CoV, causador de uma epidemia que matou 852 pessoas em 2012

Resumo da Notícia

  • Novo tipo de coronavírus é descoberto em morcegos;
  • O estudo ainda não foi revisado por outros especailistas além dos autores da pesquisa;
  • Não há evidências que o vírus seja transmissível para humanos

Um estudo ainda não revisado e publicado por cientistas chineses no fim de janeiro tem movimentado discussões nas redes sociais nesta semana. No artigo, o grupo revela ter descoberto em morcegos um tipo de coronavírus semelhante ao Mers-CoV, que provocou uma epidemia de síndrome respiratória do Oriente Médio em 2012.

-Publicidade-

Chamado pelos cientistas de NeoCoV, o patógeno é da mesma família do Sars-CoV (que causou uma epidemia em 2002-2003) e do Sars-CoV-2 (que causa a Covid-19).

O Mers-CoV não se espalhou com a mesma velocidade que o Sars-CoV-2, o que fez com que o número de casos não passasse de cerca de 2.500 em 27 países. O próprio artigo não levanta nenhum tipo de alerta em relação à infecção de humanos.

Morcegos são hospedeiros naturais de diversos coronavírus
Morcegos são hospedeiros naturais de diversos coronavírus (Foto: Pixabay)

“Nosso estudo aumenta o conhecimento sobre o uso complexo de receptores de coronavírus, destacando a importância da vigilância e pesquisa sobre esses vírus para que nos preparemos para possíveis surtos no futuro”, afirmam os autores.

Manuela Zingl, porta-voz do Hospital Universitário Charité, afirmou à agência de notícias Reuters que não há evidências concretas que o NeoCoV tenha infectado humanos ou outros animais além de morcegos, incluindo na epidemia de 2012 no Oriente Médio.

“Os dados atualmente disponíveis indicam que o NeoCoV NÃO PODE infectar humanos. Qualquer infecção de humanos pelo NeoCoV é pura especulação e não pode ser prevista com base nos dados disponíveis”, ressaltou a especialista.