Ocitocina: o que é o hormônio do amor, principais funções e como estimular a produção no corpo

Produzida pelo hipotálamo, uma glândula localizada no cérebro, a ocitocina é responsável pela amamentação, contrações uterinas do parto, sensações de bem-estar e prazer e desenvolve o apego e empatia entre as pessoas – por isso também é chamada de “hormônio do amor”

Resumo da Notícia

  • A ocitocina é um hormônio produzido pelo hipotálamo, uma glândula localizada no cérebro
  • Ela é responsável principalmente por estimular as contrações uterinas para o parto e a amamentação
  • Por também ajudar a desenvolver empatia e apego entre as pessoas, a ocitocina ganhou o nome de "hormônio do amor"

A ocitocina é um hormônio produzido pelo hipotálamo, uma glândula localizada no cérebro, que tem como funções principais estimular as contrações uterinas e liberação do leite materno, reduz sangramento durante o parto e também desenvolve apego e empatia entre as pessoas – por esse motivo, ela é conhecida como hormônio do amor.

-Publicidade-

Ela está presente tanto no organismo de mulheres quanto no de homens, mas atua de maneiras diferentes em cada um – no primeiro caso, a ocitocina desempenha um papel muito específico no parto e amamentação. No segundo, suas funções estão mais relacionadas ao contato e desempenho sexual.

Apesar de ser produzida naturalmente pelo corpo, existe a ocitocina sintética. Ela pode ser utilizada como um indutor do trabalho de parto, ministrado por profissionais, e também na forma de spray nasal, que facilita a saída e extração de leite para a amamentação.

Funções da ocitocina

  • Estimula contrações uterinas e promove o trabalho de parto
  • Reduz sangramento após o parto
  • Auxilia o útero retornar ao tamanho original após a gestação
  • Estimula a saída de leite materno
  • Desenvolve apego e empatia entre as pessoas
  • Produz parte do prazer do orgasmo

Por que é considerado o “hormônio do amor”?

A ocitocina, juntamente da serotonina, endorfina e dopamina, está dentro da categoria de neurotransmissores da felicidade. Esses hormônios são responsáveis pela sensação de bem-estar, assim como por diminuir os níveis de cortisol, que produzem a ansiedade e estresse. Ela costuma ser liberada quando estamos perto de pessoas que amamos e por isso é chamada de “hormônio do amor”.

A ocitocina também é conhecida como o hormônio do amor (Foto: Freepik)

A ocitocina age diferente no homem e na mulher?

Sim. Em mulheres, a ocitocina é liberada especialmente no parto, amamentação e orgasmo. Quando pensamos no “hormônio do amor” e sua capacidade de melhorar apego e empatia, acredita-se que ele atue de maneira semelhante tanto nos homens quanto nas mulheres. Já em pessoas do sexo masculino, a ocitocina aumenta a sensibilidade no pênis em relações sexuais, lubrificação, ejaculação, qualidade e frequência de ereções.

Como estimular a produção de ocitocina

  • Pratique atividades físicas
  • Medite
  • Faça massagens
  • Leia um livro
  • Cante
  • Tenha contato físico com outras pessoas, como abraços
  • Mantenha uma alimentação balanceada, sem restrições calóricas e rica em nutrientes
  • Tenha tempo de qualidade para se divertir e relaxar

Ocitocina sintética: o que é e para que é usada

A ocitocina sintética é um medicamento que reproduz os efeitos de maneira semelhante aos do hormônio natural. Ela pode ser encontrada em duas formas: injetável ou spray nasal. Quando é administrada de maneira intravenosa, ela é usada pelos obstetras durante o trabalho de parto para induzir as contrações e controlar o sangramento no pós-parto. A ocitocina em spray nasal auxilia a ejeção de leite e facilita a amamentação e extração de leite materno em mulheres que têm dificuldade de amamentar. É válido lembrar que esses medicamentos só devem ser usados com prescrição médica.

Efeitos colaterais da ocitocina sintética

  • Náuseas
  • Vômitos
  • Pressão baixa
  • Taquicardia

A ocitocina tem efeitos negativos no corpo?

Não se sabe ao certo quais são os efeitos do excesso de ocitocina no organismo. Os níveis elevados desse hormônio têm sido associados à hiperplasia benigna da próstata, uma condição que causa dificuldade para urinar e afeta mais da metade dos homens com mais de 60 anos.

É possível identificar a falta de ocitocina no corpo?

Ainda não é possível fazer a medicação em laboratório para comprovar que a falta desse hormônio no corpo. Mas, o que se sabe até agora é que baixos níveis está relacionado com a dificuldade de amamentação e que baixos níveis de ocitocina também estão associados à depressão, estresse e agressividade.

Fontes: dra. Fernanda Pepicelli, ginecologista e obstetra da Clínica MedPrimus e mãe de  Rafael; dra. Paula Pires, endocrinologista pela Universidade de São Paulo e mãe de Rafaela e Miguel.