Família

Os 5 momentos mais estressantes da semana

Se as horas de tensão com os filhos são previsíveis, aprenda a recriá-los

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Os momentos de tensão com os filhos acontecem previsivelmente um atrás do outro toda semana? Isso não tem que ser assim. Se você souber como recriá-los, todo mundo sai ganhando: você vai ficar menos estressado e seus filhos também.

* Segunda-feira, 8h da manhã

ENTRE NO CARRO. AGORA.

Não importa o quanto você se esforce todo fim de semana, você ainda se flagra martelando: “Vamos! Tênis, agasalho, lancheira, vambora!”. Porém, tudo o que as crianças ouvem é: “blah, blah, blah, blah, blah”.

DESSA VEZ: Faça o oposto de gritar. “Se você sussurrar com calma, voz firme, ‘nós temos que ir agora’, as crianças vão prestar atenção”, aconselha a colunista Carol Weston, que é também autora do livro Garotas falam: todas as coisas que sua irmã nunca te disse.

Seja sua própria treinadora emocional. Diga a si mesma: “eu cometi um erro e assumo, nós podemos tomar o café da manhã e sair de casa em 30 minutos, mas deixe-me ver como eu poderia virar esse jogo”, sugere William Doherty, Ph.D.,professor de ciências sociais da família da Universidade de Minnesota (EUA) e autor do Traga suas crianças de volta.

Controle  a criança frenética. “Se o seu pequeno está fazendo um escândalo com os sapatos errados ou tem que vestir um agasalho, não tente transmitir lições nesse momento”, adverte Denise Pope, cofundadora da Stanford University’s Challenge Success, uma organização que visa melhorar o bem estar de estudantes. “Seu filho não vai processar a informação. Ao invés disso, abaixe-se até a altura da criança, ponha as mãos nos ombros dela e converse em num tom muito abaixo do dela”, ensina dr. Pope. Explique que é isso o que ela vai vestir hoje mas que mais tarde vocês podem conversar sobre o que ela prefere usar amanhã.

NA PRÓXIMA: Suponha que algo vai dar errado. Um estilo de trabalho superprodutivo não é sinônimo de vida doméstica. Se seu filho leva dez minutos para se vestir, sempre calcule 15 minutos, explica dr. Doherty. Dessa forma, você não vai ter que importuná-lo e pequenos contratempos não farão você cair fora da programação.

Desista de ilusões. Se você acha seu filho lento, exigir que ele coma mais rápido para empurrá-lo logo para fora da porta só vai fazer você bancar o papel de chatão todas as manhãs. “As crianças não irão mudar seus hábitos básicos”, afirma dr. Doherty. “Nós podemos modelar o comportamento delas ao longo do tempo, mas não no momento”.

Promova independência. Seu filho sempre quer colocar o cinto de segurança por conta própria, mas você não tem o minuto extra pra deixá-lo tentar? “Explique que há certos dias em que você precisa sair na hora, e que ele pode praticar nos fim de semana – e acompanhe-o na tarefa”, explica dr. Pope. Antes que você perceba, ele já vai estar dominando isso e a missão vai estar cumprida.