Padrasto é preso após ser descoberto por abuso infantil com o próprio enteado

A mãe do menino também está sendo acusada de abusos criminais e quem descobriu foi uma funcionária de restaurante após ver ações estranhas do menino no local

Resumo da Notícia

  • Padrasto foi preso após ser descoberto abuso infantil com enteado
  • A mãe do menino também está sendo acusada de abusos criminais
  • Quem descobriu foi uma funcionária de restaurante após ver ações estranhas do menino

Um padrasto foi preso na Flórida, Estados Unidos, após ser condenado por abuso infantil. Uma funcionária de restaurante percebeu sinais no corpo do menino que o padrasto abusava e perguntou se ele precisava de ajuda.

-Publicidade-

Rapidamente a mulher acionou a Procuradoria do Condado de Orange. Segundo a CNN, o júri considerou Timothy Lee Wilson culpado por 2 acusações de cárcere privado de uma criança menor de 13 anos, 3 acusações de abuso infantil com uma arma, 4 acusações de abuso infantil agravado e 1 acusação de negligência infantil, segundo o comunicado do escritório do procurador do estado.

Conforme investigações, o garoto foi levado para longe da família no quarto de hotel que era usado para armazenamento, não comia e nem bebia direito e precisava fazer exercícios de estilo militar e diversos outros abusos. Os policiais encontraram itens que eram usados como arma contra a criança.

O garoto de 11 anos estava com a família no restaurante quando a funcionária Flaviane Carvalho percebeu que ele estava longe dos pais e do irmão, não podia comer e nem beber. A mulher então ficou atrás dos pais do garoto e perguntou em um bilhete se ele precisava de ajuda.

Ela questionou o menino por meio de um bilhete, perguntando se ele precisava de ajuda (Foot: Reprodução/ Departamento de Polícia de Orlando)

O menino acenou que sim e ela chamou o chefe e depois o 911 (polícia local). A polícia ao chegar no local, questionou a criança e prendeu Wilson e depois, a mãe dele também, Kristen Swann.

A mãe do garoto também está sendo acusada de abusos criminais, como negligência de criança, abuso agravado e falha ao denunciar abuso infantil. O homem receberá a sentença no dia 19 de agosto de 2022.