Padrasto é suspeito de espancar dois irmãos de 4 e 7 anos de idade

Vitor Manoel Zeferino, de 21 anos, pai do menino de 4 anos, diz que o filho ficou com o rosto desfigurado

Resumo da Notícia

  • Padrasto é suspeito de espancar dois irmãos de 4 e 7 anos de idade
  • O meninos são irmãos por parte de mãe. O pai do garoto de 4 anos diz que ele ficou com o rosto desfigurado
  • A mãe, suspeita de maus tratos, também será investigada

Duas crianças de 4 e 7 anos foram agredidas, em Jardinópolis, interior de São Paulo.  Segundo o pai do garoto de 4 anos, Vitor Manoel Zeferino, de 21 anos, o menor ficou com o rosto desfigurado. O padrasto é o principal suspeito de realizar o crime, considerado lesão corporal pela Polícia Civil, que aconteceu na última quinta-feira, dia 14.

-Publicidade-

“Meu filho contou que [o padrasto] bateu nele de chinelo, de fio, deu soco nele, chute. Aí eu não aguentei. Comecei a chorar, desabar. Eu não aguentei. Não aguento”, contou o pai em entrevista ao portal G1.

Vitor Manoel Zeferino, pai de um dos garotos, fez a denúncia na delegacia (Foto: Reprodução / Valdinei Malaguti/EPTV)

Já a mãe, Caroline de Menezes Lima, disse que encontrou as crianças feridas ao voltar para casa após o trabalho e que o companheiro dela não estava mais no local. Ela também será alvo da investigação.

Vitor é separado de Caroline, juntos eles têm um menino de 4 anos. O outro garoto é fruto de um relacionamento anterior. De acordo com informações do Conselho Tutelar, os menores estão sob a guarda dos respectivos pais e passaram por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), acompanhados da mãe.

“Ele bateu muito nos dois moleques. Bateu muito de fio, de chinelo. Ele é um monstro. Pra mim, ele tem que ir preso. Ele é um lixo. Pra mim, não é homem, não”, reforça Vitor.

Também em entrevista o G1, a irmã de Vitor, Lilian Maria Zeferino, conta que as crianças estão assustadas e não entendem o motivo da agressão. “Eles falam que não sabem, não falam nada. É criança, só ficam mudos. Eles estão assustados com o acontecido. Eles apanharam demais, apanharam de sandália e rasteirinha na cara. Acabou o chão pra nós, pra todo mundo. Eu só quero justiça, quero ele na cadeia”, diz ela.

A avó paterna do menino de 7 anos, Andrea Correa diz que a mãe costuma bater nas crianças. “Ela batia nele mesmo, porque às vezes ele aparecia na minha casa todo machucado. Eu perguntava para ele e ele falava que caía, mas ela batia nele”, afirma Andrea.

A polícia informa que as crianças devem depor para ajudar nas investigações e que terão acompanhamento psicológico.

Assista agora o POD&tudo, o podcast da Pais&Filhos, com Miá Mello: