Pai cria remédio em casa para doença rara do filho de 2 anos

O caso aconteceu na China, de onde Xu Wei está impossibilitado de sair para comprar o medicamento para o menino por causa de medidas impostas pela pandemia da covid-19

Resumo da Notícia

  • Um pai precisou montar um laboratório caseiro para criar o remédio que trataria a doença do filho
  • O caso aconteceu na China
  • Xu Mei está improvisando o tratamento do menino porque não pode sair do país para adquirir o tratamento, por causa de medidas impostas pela covid-19

Um pai precisou improvisar um laboratório caseiro para criar o remédio capaz de tratar a doença genética rara do filho de 2 anos. O caso aconteceu na China, de onde Xu Mei está impossibilitado de sair para conseguir o medicamento do menino por causa de medidas impostas pelo governo para barrar a covid-19.

-Publicidade-

Haoyang possui uma rara condição genética que exige um tratamento desde cedo – contudo, o remédio necessário para isso não está mais disponível na China. Por isso, ao portal francês AFP, Xu contou detalhes da situação. Segundo ele, o medicamento é difícil de ser encontrado pois possui “pouco valor comercial, já que seu grupo de usuários é pequeno”.

Xu Mei criou o remédio para tratar a doença rara do filho
Xu Mei criou o remédio para tratar a doença rara do filho (Foto: Reprodução/ AFP)

Crianças com a doença de Haoyang raramente sobrevivem até os três anos de idade – por se tratar de uma síndrome que tem dificuldade em digerir o cobre. Mesmo assim, Xu não desistiu e montou com as próprias mãos o laboratório que trará o remédio necessário para a sobrevivência do filho.

Para isso, leu manuais e materiais que estavam apenas disponíveis em inglês – por meio de um tradutor online. Além disso, chegou a testar o medicamento em animais e até nele próprio, para ter certeza de que era seguro para o menino.

“Os coelhos ficaram bem e eu também, por isso comecei a dá-lo para o meu filho”, esclareceu Xu. Agora, o pequeno Haoyang ingere uma dose diária do remédio que promete estender sua vida por muito tempo. O pai contou, inclusive, que exames do menino apresentaram uma significativa melhora desde o uso do tratamento.