Pai é expulso do grupo de música do filho por ser o único homem: “Definitivamente discriminatório”

A anônima utilizou a plataforma do Mumsnet para desabafar sobre a situação desconfortável que o marido enfrentou recentemente

Resumo da Notícia

  • Uma anônima decidiu fazer um relato na internet
  • Ela contou que o marido foi expulso de um grupo de música do filho porque era o único homem
  • Alguns usuários opinaram apoiando o casal

Recentemente, uma mãe ficou furiosa ao contar que o marido havia sido expulso de um grupo de mães que levavam os filhos para um se encontraram. O motivo dado por elas era o de que ele era o único homem, o que acabava deixando algumas mulheres “desconfortáveis” por ter “um pênis no ambiente do grupo”.

-Publicidade-

Foi através do Mumsnet, um portal em que os usuários compartilham experiências envolvendo assuntos sobre maternidade, que a esposa revoltada compartilhou a história. De acordo com a líder do encontro, o homem anônimo foi convidado a não retornar ao grupo de música infantil de seu filho porque causava um desconforto das mães.

O homem mandou a real
A mãe contou que o marido era o único que poderia levar a criança para o grupo de música do filho (Foto: Getty Images)

“Elas expressaram desconforto ao amamentar com ele na sala e que queremos que o grupo seja sempre um espaço seguro e inclusivo para as mamães que amamentam. Somos um grupo pequeno, então acho melhor que ele não compareça novamente. Desculpe pelo transtorno, vou reembolsar todas as sessões que você pagou antecipadamente”, escreveu a líder no e-mail enviado para a esposa.

Indignada com a situação, a mulher explicou o relato no fórum que inicialmente levaria o bebê para o grupo, mas depois que ela voltou ao trabalho, o marido assumiu. “Voltei a trabalhar há duas semanas, meu marido agora é um pai que fica em casa em tempo integral para nosso filho de oito meses e está adorando. Ele é um pai brilhante e esta será a situação até que nosso filho comece a escola”, começou escrevendo ela.

Em seguida, a usuária da plataforma revelou que havia avisado a líder do grupo de que o companheiro traria o bebê, e que a mulher “estava totalmente bem” com a decisão do casal. Entretanto, o homem foi pressionado a se retirar do local. Além disso, ela acrescentou que ficou “absolutamente furiosa” com o e-mail porque a líder do grupo sentiu a necessidade de “referir-se ao meu marido pelos órgãos genitais”.

A postagem gerou indignação entre outras mães, que classificaram o incidente como “discriminação chocante”. Uma escreveu “Espere … acabei de ler … ela realmente se referiu a ele apenas pelos órgãos genitais ?! Isso é tão ofensivo.” Outra acrescentou: “É definitivamente discriminatório. É um e-mail horrível. Eu também ficaria furiosa! ”