Pai é preso por dar bebida alcoólica para filho de 5 anos

Era a segunda vez que o homem dava vinho para o filho de 5 anos tomar, e ele sempre passava mal

Resumo da Notícia

  • Um homem foi preso por dar bebida alcoólica para o filho de 5 anos
  • Segundo o pai era a segunda vez que o menino bebia vinho
  • A criança passou mal, e o pai foi preso no último sábado

Um homem foi preso em Porteirão, no sudoeste de Goiás, após dar bebida alcoólica para o filho de 5 anos, e ele passar mal. O pai deu vinho para o menino pela segunda vez, e confessou para a polícia que não tinha problema, pois já havia dado antes para ele.

-Publicidade-

Segundo o boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar no último sábado, a mãe da criança estava varrendo a calçada de casa quando viu o marido carregando uma garrafa de vinho, enquanto a criança estava com um copo da bebida na mão. A mulher, então, pediu para que o companheiro tirasse o copo.

O pai foi preso por dar vinho ao filho de 5 anos, e o menino passar mal
O pai foi preso por dar vinho ao filho de 5 anos, e o menino passar mal (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Momentos depois, a mãe viu o filho passando mal, vomitando e com dificuldade para ficar em pé. Ela pediu ajuda a um vizinho e levou o menino ao hospital. O Conselho Tutelar foi chamado para acompanhar o caso. A Polícia Militar também foi ao local e prendeu o pai da criança. O homem disse que era a segunda vez que dava bebida alcoólica para o filho e que não tinha problema ele beber só um pouco.

O pai foi levado para a delegacia de Rio Verde, onde foi preso em flagrante. Ele pode responder por dar bebida a menor de 18 anos. Segundo a Ambev, 67% dos menores de 18 anos já compraram bebidas alcoólicas. Estudo realizado pelo instituto americano International Center for Alcohol Policies (ICAP) aponta que 46% dos jovens consumiram álcool pela primeira vez no âmbito familiar, dentro de casa. Muitos pais não têm consciência de que é prejudicial e não sabem como tocar nesse assunto com os filhos ou pensam que deixar experimentar não faz mal.