Pai estimula filha de 11 anos a bater em outra criança durante briga em condomínio

O episódio aconteceu em um prédio de classe média, localizado na cidade de Salvador

Resumo da Notícia

  • Um pai pediu para que a filha batesse em um menino
  • As crianças acabaram se desentendendo em uma quadra de condomínio
  • O homem enfrentou o garoto, de 11 anos de idade

Neste último domingo, 13 de fevereiro, o caso de um pai repercutiu na mídia. Isso porque o homem decidiu estimular a filha, de 11 anos de idade, a bater em um menino da mesma idade, durante um desentendimento entre crianças em uma quadra de um condomínio de classe média no bairro da Vila Laura, em Salvador.

-Publicidade-

De acordo com uma moradora do prédio, que preferiu não se identificar, a briga começou após a menina lançar uma sandália contra um garoto, o qual retribuiu o gesto ao agredi-la de volta.

Entretanto, o caso tomou maiores proporções quando os pais da garota desceram até o local para intervir a confusão. Segundo informações da testemunha para o jornal Metro 1, o homem decidiu enfrentar e tirar satisfação com o menino e, em seguida, obrigou a própria filha a bater no rosto dele.

Moradores filmaram a abordagem do adulto contra a criança
Moradores filmaram a abordagem do adulto contra a criança (Foto: Reprodução Metro 1)

Outros moradores que estavam presentes no momento da abordagem do adulto filmaram a abordagem do pai com a criança. “Desconta. Quem vai apanhar é você. Na cara, na cara dele”, estimula ele. “Chame o seu pai para eu bater nele também. Vi*do é seu pai e p*ta é sua mãe”, continua ele em alguns trechos.

Logo após as ameaças, o pai do menino chegou para conversar com o homem, mas eles precisaram ser segurados por outros por outros moradores para evitar uma outra briga. O condomínio Villa Privilege, onde as famílias envolvidas moram, divulgou nota oficial para lamentar o caso.

“Nós repudiamos toda e qualquer espécie de violência verbal ou física, especialmente, praticada na presença de crianças, que precisam crescer aprendendo a resolver os problemas por meio do diálogo e do bom senso e, para tanto, necessitam de bons exemplos”, afirma o comunicado.