Pai mata filho com tiro acidental e depois, atira em si mesmo: “Deixa eu morrer. Peço perdão”

O acidente ocorreu enquanto o pai tirava uma foto da arma para vender na internet. Ele sem querer, engatilhou a arma

Resumo da Notícia

  • Um homem de 41 anos matou o filho com um tiro acidental
  • Depois, ele tentou se matar, disparando contra o próprio rosto
  • A polícia está tratando o caso como tiro acidental

Na sexta-feira, dia 27 de maio, em Formosa, Goiânia, um menino de 11 anos morreu dentro de casa após ser atingido por um um tiro acidental disparado pelo pai. O homem de 41 anos se desesperou, escreveu uma carta pedindo perdão pelo que fez e depois, atirou no próprio rosto. “Foi acidente. Matei meu filho. Deixa eu morrer. Matei meu filho por acidente. Peço perdão”, escreveu ele.

-Publicidade-
O pai deixou uma carta depois de matar o filho (Foto: Reprodução TV Anhanguera)

A Polícia Militar foi chamada após o primeiro disparo, e chegando ao imóvel, ouviram um segundo tiro. A criança foi encontrada já sem vida, e o pai, ferido no rosto. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada e o estado do homem foi estabilizado. Ele foi levado para o Hospital Regional de Formosa.

“O pai, a princípio, não corre risco de morte. Mas os policiais encontraram uma cena muito triste: o pai com um tiro no rosto segurando o filho no colo. Ele estava desesperado e correu pela casa com o menino”, disse o delegado Danilo Meneses.

A Polícia está tratando o caso como tiro acidental. O delegado Danilo informou que policiais militares chegaram na casa, e logo ouviram o barulho do segundo tiro. Foi o disparo que o pai fez no próprio rosto após matar o filho. O homem não teve o nome divulgado, mas continua hospitalizado.

De acordo com a polícia, o homem tem registro de colecionador de armas de fogo, atirador desportivo e caçador e possui quatro armas. Por dificuldades financeiras, ele decidiu vender a espingarda. “Ele ia tirar uma foto da arma que estava vendendo, que é legalizada, e o filho estava por perto. Possivelmente ele acionou o gatilho sem perceber”, disse o delegado.

O homem tinha permissão para portar armas
O homem tinha permissão para portar armas (Foto: Reprodução TV Anhanguera)

O caso chocou as autoridades, e o delegado lamentou: “Mais uma fatalidade com o manuseio de armas de fogo que, infelizmente, acabou por ceifar a vida dessa criança.” E concluiu: “O recado que a gente deixa para a família é: força e sabedoria para lidar com esse momento. Que eu tenho certeza que é um momento muito difícil, de muita dor. É uma situação em que nenhuma palavra que eu disser aqui vai poder descrever toda tensão, toda dor das pessoas próximas do filho e do pai estão vivendo nesse momento.”