Pai reencontra o filho após 24 anos com a ajuda de agente de saúde

Braz havia se mudado do Rio Grande do Norte para São Paulo a trabalho e nunca mais teve contato com a família

Resumo da Notícia

  • Pai reencontrou o filho após 24 anos
  • O reencontro foi realizado com a ajuda de uma agente de saúde
  • A família ficou muito feliz em ter notícias do homem

Braz Neto Cavalcante pôde reencontrar o filho com a ajuda de uma agente de saúde de São Paulo. A última vez que se viram foi há 24 anos, em Frutuoso Gomes, no estado do Rio Grande do Norte, onde nasceu.

-Publicidade-

O homem deixou a terra de origem para trabalhar uma churrascaria em Ribeirão Pires, na região metropolitana de São Paulo, em 1997. Ele foi perdendo contato a família aos poucos. Atualmente, Braz está desempregado e mora sozinho.

A agente de saúde, Marcela, começou a acompanhar a situação do homem e o levou para tomar a vacina da Covid-19. Ao descobrir a história de vida dele, decidiu procurar por sua família que já não via há anos.

Documento de Braz
Documento de Braz (Foto: Reprodução / Jornal Hoje)

“A gente precisa da segunda via da certidão de nascimento dele. Ele perdeu. Ele não consegue fazer nada devido a foto ser muito antiga, mais de 40 anos”, disse ela em entrevista ao Jornal Hoje, da TV Globo.

A agente teve a ideia de fazer um vídeo contanto a história do homem e compartilhar nas redes sociais.  “Todos achavam que ele havia até falecido, né? Quando eu recebi a mensagem do filho dele, eu chorei muito, mas eu falei pra ele: seu sonho é conhecer seu pai? Eu vou realizar esse sonho agora”, relembrou Marcela.

Braz conseguiu ter contato com a família novamente através de chamadas de vídeo. Inclusive, conseguiu ver o filho Lucas, que tinha 3 anos quando se mudou para São Paulo.

“Eu já entrei em sites, procurei apoio judicial. Minha irmã morava em São Paulo, saia de São Paulo do trabalho e qualquer pessoa em situação de rua, ela achava que era ele, tinha esperança de encontrar. Eu sempre acreditei na versão da minha mãe, né, sempre acreditei que ele é uma boa pessoa, uma pessoa responsável, ele não maltratava a gente, nunca bateu na minha mãe, nunca maltratou a minha mãe. Eu acho que no fundo ele queria ter uma vida melhor”, contou o filho.

“Eu não consigo descrever. É um misto de muitas coisas. E sempre quando eu vejo, eu me emociono muito. Eu fico muito feliz, eu fico muito feliz de saber que ele é vivo. Espero que eu possa ajudá-lo da melhor forma possível”, acrescentou o jovem.