Pai reúne provas sozinho e consegue tirar filhos da prisão após 1 mês detidos por engano

Luiz César Marques Júnior, de 24 anos, e Gustavo Marques, de 20 anos foram presos no dia 1 de março suspeitos de roubarem dois carros em São Bernardo do Campo, em São Paulo

Resumo da Notícia

  • Dois meninos foram presos por engano em São Paulo
  • O pai dos jovens reuniu provas sozinho para tirar os filhos da prisão
  • Luiz César e Gustavo Marques eram suspeitos de roubar 2 carros

Um pai conseguiu reunir provas e tirar dois jovens da prisão, que foram detidos por engano no dia 1 de março. Luiz César Marques Júnior, de 24 anos, e Gustavo Marques, de 20 anos são dois jovens negros que foram presos suspeitos de roubarem dois carros  em São Bernardo do Campo, em São Paulo.

-Publicidade-

O roubo de um dos veículos ocorreu na Rua Paquistão, em São Bernardo do Campo, por volta das 18h47, porém, a família alega que no mesmo horário, Luiz e Gustavo estavam em um bar com o pai no bairro Campanário, em Diadema. Eles foram reconhecidos por uma das vítimas pela camisa cinza escura, um boné branco e por serem negros e foram presos no dia 1º de março.

Câmeras de segurança mostraram que os jovens não estavam na cena do crime
Câmeras de segurança mostraram que os jovens não estavam na cena do crime (Foto: Reprodução/G1)

“Não escutaram a gente no momento, o que a gente falou eles simplesmente ignoraram. A Justiça precisa parar com isso, a base de roupa não é base para condenar alguém, procurar investigar mais, olhar pelas pessoas, não pela cor, mas pelo ser humano”, afirmou Luiz César Marques Júnior ao portal do G1.

O pai dos jovens conseguiu com a ajuda dos moradores do bairro reunir imagens das câmeras de seguranças que mostram o trajeto que eles fizeram até o bar, desde que saíram de casa por volta das 17h59, até o horário em que chegaram no bar às 18h20. Pelas imagens também é possível ver os dois jovens no local até às 19h30.

“Em momento algum deram chances de defesa para os meninos, eu acho que todo homem tem o direito de defesa, mas o sistema não dá o direito, principalmente da gente que é negro”, afirma Luiz César Marques, pai de Gustavo e Luiz. Segundo a defesa, as câmeras de segurança do local estavam com atraso de 1h27 no dia do ocorrido. Foi pedido a perícia da gravação, mas a juíza do caso indeferiu.

Luís e Gustavo foram presos por engano em São Paulo
Luís e Gustavo foram presos por engano em São Paulo (Foto: Reprodução/G1)

Segundo a defesa, os jovens foram colocados do lado de um único homem que não tinha semelhanças com eles. “Eles foram colocados do lado de um jovem com uma estatura corporal muito diferente da deles. Eles são magros, negros. Colocaram eles do lado de apenas uma pessoa, o que já estava errado”, afirma Monique Marques, advogada da defesa.