Pai salva vida de filho após doar parte do fígado: “Tirou um peso enorme das costas”

Matheus foi diagnosticado com deficiência de alfa 1 antitripsina, uma complicação que afeta o fígado e precisou de um transplante. A cirurgia aconteceu no início do ano e a família aguarda a liberação para ir para casa

Resumo da Notícia

  • Um pai salvou a vida do filho ao doar parte do fígado
  • O bebê nasceu com uma doença genética que afeta o órgão
  • A cirurgia deu certo e a família aguarda a alta para voltar para casa

Esperança e superação. Essas palavras tem tudo a ver com a história de Louise e Heron Baasch. O casal de Florianópolis, Santa Catarina, tiveram um filho, Matheus. O bebê foi diagnosticado com uma doença genética com poucos meses de vida.

-Publicidade-
O bebê nasceu com uma doença genética e a única solução era o transplante (Foto: reprodução/G1)

Um tempo após o parto, que ocorreu no dia 22 de agosto de 2020, os primeiros sintomas surgiram, sendo o principal a pele amarelada. A família procurou o hospital e com os exames veio a confirmação. Matheus tinha deficiência de alfa 1 antitripsina, uma complicação que afeta o fígado.

Com o diagnóstico, a família soube que a única forma de reverter a situação seria através de um transplante. “Fiquei sem chão, é o pesadelo de toda mãe descobrir que seu filho tem uma doença tão séria. Só de ouvir falar na possibilidade de um transplante, meu sangue gelou. Pensar em um bebezinho tão pequeno – que até então vivia no colo – em um centro cirúrgico, não parece fazer sentido”, desabafou a mãe ao G1.

-Publicidade-

Como a doença progredia com rapidez, o transplante se tornou prioridade e a partir de outros exames, foi descoberto que o pai poderia doar uma parte do fígado para o bebê. “Isso tirou um peso enorme das nossas costas”, disse o Heron.

Assim, no dia 4 de janeiro deste ano, a cirurgia aconteceu no Hospital da Criança Santo Antônio e durou 12 horas. Por conta de algumas complicações após o procedimento, o bebê precisou ficar mais tempo que o estipulado e foi internado.

Com a situação controlada, agora a família aguarda a liberação para retornar para casa. “Agora que o pior já passou, estamos extremamente agradecidos por ter nosso menininho querido de volta, agradecidos a Deus por esse milagre e à equipe da Santa Casa pelo trabalho fantástico. É maravilhoso poder voltar a pensar no futuro dele, ter um bebê – que apesar de alguns cuidados especiais – é um bebê normal, que gosta de um colinho, sorri o dia inteiro e se desenvolve”, comemorou a mãe.

-Publicidade-