Família

Pai transgênero fala sobre filho e desabafa: “Olhem para o amor e respeito que temos um pelo outro”

Trystan Reese contou sobre toda a gestação e falou sobre a família

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Trystan, Biff e o filho Leo (Foto: Reprodução / Instagram @biffandi)

Quando Trystan Reese sugeriu para seu parceiro, Biff Chaplow, que ele deveria engravidar do bebê do casal, ele foi recebido com resistência.

Trystan é um homem transgênero, que já tinha visto amigos homens trans levarem a gravidez de forma saudável, então ele sabia que era possível, porém Biff tinha algumas preocupações.

“Ele estava muito hesitante sobre a ideia”, disse Tristan. “Na verdade, ele estava preocupado com a minha segurança: como seria para um homem grávido se expor para o mundo?”.

O casal pesquisou sobre isso e descobriu que homens transgêneros podem sim ter gestações saudáveis. E foi exatamente isso que Reese fez: deu à luz Leo, um bebê perfeitamente saudável.

Enquanto a terapia hormonal de Trystan lhe dava uma barba e uma voz mais grave, seus úteros e ovários continuaram a funcionar. O processo de remoção da testosterona não foi diferente do que a maioria das mulheres enfrentam quando para de tomar seus remédios antes de parirem. Cerca de 5 meses depois, Trystan estava grávido.

Trystan decidiu engravidar (Foto: Reprodução / Instagram @biffandi)

Ele descreveu sua experiência como uma “gravidez de livro”: completamente cansativa, com enjoos, desconforto no 3º semestre e, eventualmente, um parto saudável.

“A parte do parto aconteceu, com nós dois em casa, à moda antiga. Eu tenho muita sorte, recebi cuidados incrivelmente respeitosos, competentes e inteligentes durante meu processo pré-natal“, ele conta.

Trystan disse que ele não foi pioneiro e que homens transgêneros realizam gestações bem-sucedidas com mais frequência do que as pessoas podem imaginar.

“Nós conhecemos muitos homens transgêneros que tiveram filhos. Temos muitos amigos próximos. Então isso não foi estranho para nós” (Foto: Reprodução / Instagram @biffandi)

“Eu entendo que não somos uma família típica e tradicional”, ele diz. “Mas eu penso que só porque alguma coisa sempre foi de um jeito, não significa que existe apenas esse caminho”.

Trystan acrescenta que gostaria de convidar as pessoas a verem como os formatos das famílias evoluíram ao longo do tempo. “Olhe para a nossa família, para o amor e respeito que temos um pelo outro. Continuem abertos para pensar em todas as formas pelas quais as crianças podem vir ao mundo e as pessoas podem amar umas às outras”, ele conclui.

Leia também:

Menina de 11 anos é barrada em campeonato de patinação por ser transexual

Atriz sul-africana conta que o filho na verdade é uma menina: “Meu trabalho é garantir que ela seja quem quiser”

Pai transgênero dá à luz e desabafa: “Eu não me vejo menos homem por causa da gravidez”