Papai Smurf? Homem muda a cor da pele para azul em casa e fica mundialmente famoso

Paul Karason chegou a aparecer no programa da Oprah Winfrey para explicar como – e porque – mudou a tonalidade da pele para azul escuro

Resumo da Notícia

  • Paul Karason ficou mundialmente famoso ao decidir que mudaria o tom da pele dele para azul escuro
  • O homem chegou a marcar presença no programa da Oprah Winfrey para explicar como - e porque - tomou a decisão
  • Paul faleceu em 2013

Papai Smurf?! Um homem nos Estados Unidos ficou mundialmente conhecido ao mudar a tonalidade de sua pele branca para azul escuro – com métodos caseiros e em casa. Paul Karason ficou famoso pela excêntrica aparência, e já marcou presença até mesmo no programa da Oprah Winfrey para explicar como – e porque – tomou a decisão.

-Publicidade-

Em uma conversa que já atingiu a marca de 5 milhões de visualizações no Youtube, Paul contou que o resultado foi parte de um experimento que começou a fazer com um amigo em 1994. Para isso, a dupla utilizou uma substância chamada de Prata Coloidal – que pode se acumular no organismo e mudar o tom de pele de uma pessoa por meio de envenenamento.

Na época, Paul ouviu que o produto também tratava infecções por petróleo. Para ajudar o amigo que também era mecânico, assim, decidiu ingerir um pouco da substância por dia. O homem, então, não parou com o hábito – que, segundo ele, curou seu refluxo.

Ele mudou o tom de pele em casa!
Ele mudou o tom de pele em casa! (Foto: Reprodução/ R7)

Então, impressionado com o aparente sucesso do produto, Paul passou a passá-lo por diversas partes do corpo, por motivos ainda mais diversos. Principalmente em infecções de pele – como dermatite e arranhões de gato – Paul passou de um homem branco, com sardas e cabelo ruivo para uma pessoa com a pele azul escura.

Em 2009, Paul concedeu uma entrevista ao veículo americano Today, no qual admitiu que continua tomando Prata Coloidal na esperança de que sua pele voltasse ao normal. Nunca aconteceu, e ele faleceu em 2013. Sobre o apelido de “Papai Smurf”, a viúva dele contou que não era tão carinhoso assim…

“Ele não gostava desse apelido dependendo de quem o chamasse”, contou a viúva. “Se fosse uma criança, ele até sorria, mas se fosse adulto, bem….”, relembrou, brincando.