Paris Jackson lembra de infância com pai Michael Jackson e desabafa: “Sinto ele comigo o tempo todo”

Crescendo com um pai extremamente famoso, Jackson teve uma infância tranquila e falou que nos últimos anos está construindo um nome para si mesma

Resumo da Notícia

  • Crescendo com um pai extremamente famoso, Paris Jackson teve uma infância tranquila
  • Ela contou sobre a infância e disse que sente falta do pai
  • Ela compartilhou que nove de suas tatuagens são dedicadas a Michael Jackson
Paris Jackson falou sobre o pai (Foto: Instagram @parisjackson)

Paris Jackson, modelo e atriz, de 21 anos, conhecida popularmente como filha de Michael Jackson, Paris cresceu nos últimos anos e está construindo um nome para si mesma.

-Publicidade-

Crescendo com um pai extremamente famoso, Jackson teve uma infância tranquila. Não estando perto de outras crianças, Jackson não era muito criança. “Nos primeiros 12 anos da minha vida eu fui educada em casa… O que significa que as únicas interações que eu já tive foram com membros da família ou outros adultos”, escreveu ela para o Harper’s Bazaar.

Depois de deixar de estudar em casa aos 12 anos em 2010, teve que se reajustar a uma nova vida. “Eu não tinha habilidades sociais. Eu tive que me forçar a aprender muito rápido… Nos últimos seis anos, aprendi a me comunicar. E acho que fiquei muito boa nisso”, desabafou ela.

-Publicidade-

Embora Jackson tenha tido uma infância incomum e um pai extremamente famoso, ela ainda sentia que tinha certos elementos normais da vida enquanto crescia.

Ela cresceu em uma casa que tinha um parque de diversões, mas ela não podia andar de bicicleta quando quisesse. “Nós não podíamos simplesmente andar nos parques quando quiséssemos… Nós realmente tínhamos uma vida bastante normal. Como se tivéssemos a escola todos os dias e tivéssemos que ser bons. E se fôssemos bons, todo fim de semana mais ou menos, nós poderíamos escolher se íamos ao cinema ou ver os animais. Mas se tivéssemos um comportamento ruim, não poderíamos fazer todas essas coisas”, contou ao Rolling Stone.

Ela nunca duvidou do amor do pai  por ela. “Seu foco número um para nós… além de nos amar, era a educação”, disse.

Jackson admitiu que estar na frente da câmera e modelar é uma grande ajuda para sua autoestima. “Mas há um momento em que estou modelando, onde esqueço meus problemas de autoestima e me concentro no que o fotógrafo está me dizendo – e me sinto bonita. E, nesse sentido, é egoísta”, comentou.

Com uma imagem que pode alcançar muitas pessoas, Jackson está ciente da responsabilidade que isso cria para ela e deseja corresponder às expectativas colocadas nela. Ela falou com a Vogue Australia (via Billboard) sobre essa ideia em 2017 e o que ela espera que venha de sua fama. “Muitas garotas se inspiram em mim e eu quero ser alguém que os pais aprovam. Quero deixar uma impressão positiva”, disse ela.

Já se passaram mais de dez anos desde que Michael Jackson faleceu. Desde então, muita coisa mudou, mas Jackson é a primeira a dizer que a perda de seu pai ainda a afeta. “Eles sempre dizem que o tempo cura, mas isso realmente não acontece. Você se acostuma. Eu vivo a vida com a mentalidade de que perdi a coisa que era mais importante para nós. Mas sei que nada pode ser tão ruim quanto o que aconteceu antes, então posso lidar com isso”, comentou ela.

E durante todo esse tempo, Jackson continuou fazendo de seu pai um foco importante na vida dela. Durante a entrevista, ela compartilhou que nove de suas tatuagens são dedicadas a Michael Jackson. Ela também o vê em seus sonhos. “Eu o sinto comigo o tempo todo”, finalizou ela.

-Publicidade-