“Passaporte da vacina” será obrigatório para frequentar estabelecimentos em São Paulo: entenda

A medida foi anunciada nesta segunda-feira pelo prefeito da cidade de São Paulo. O ‘passaporte da vacinação’ é uma medida de incentivar a vacinação e, caso o comércio não cumpra a exigência, será multado em um valor “bem caro”

Resumo da Notícia

  • A cidade de São Paulo terá um "passaporte de vacinação"
  • Só será permitida a entrada em estabelecimentos fechados com o comprovante de vacinação
  • Caso o comércio não respeite a regra, receberá uma multa "bem cara", segundo o prefeito Ricardo Nunes

Nesta segunda-feira, 23 de agosto, a prefeitura de São Paulo informou que pessoas que desejam frequentar locais fechados precisarão, obrigatoriamente, estarem imunizados contra a covid-19 e apresentar um “passaporte de vacinação” a partir das próximas semanas. A data oficial ainda será anunciada.

-Publicidade-

Os locais que não cumprirem com a nova exigência serão multados. Para ter em mãos o comprovante de vacinação, é possível utilizar o aplicativo da prefeitura ou levar sempre consigo o cartão físico da vacinação. Essa é uma maneira de tentar conter o avanço da proliferação do novo coronavírus na sociedade, uma vez que todas as medidas de segurança foram encerradas no último dia 17.

O governo do estado definiu datas para a vacinação de adolescentes (Foto: Freepik)

A nova medida exige que as pessoas estejam com o esquema vacinal em dia. Isso significa que quem tomou a primeira dose, mas ainda não tomou a segunda pelo tempo de intervalo, pode frequentar estabelecimentos fechados. Quem estiver com a segunda dose atrasada será barrado do comércio.

Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo, disse em entrevista coletiva que esta também é uma maneira de incentivar a vacinação. Para conseguir o “passaporte da vacina”, você deverá baixar o aplicativo e-SaudeSP, da prefeitura. “A pessoa baixa o aplicativo da prefeitura e lá terá um QR Code com todas as informações: primeira dose, segunda dose, quando ela vai tomar ou deveria ter tomado. Se identificarmos que o estabelecimento não está exigindo ou que há pessoas no local que não se vacinaram, aplicaremos uma multa”. Nunes ainda informou que a multa será “bem cara”, para desestimular que estabelecimentos burlem a nova regra.