Pegadinha de enteado no Dia dos Pais deixa padrasto irritado após gatilho

Nos Estados Unidos, o Dia dos Pais é comemorado em 19 de junho, e esse foi o contexto para que um enteado presenteasse o padrasto com uma garrafa. Porém, o padrasto, ex-alcoólatra, não achou graça na brincadeira

Resumo da Notícia

  • Enteado e padrasto, apesar de conviverem há anos no mesmo núcleo familiar, não possuem boa relação entre si
  • O Dia dos Pais, de primeiro momento, pareceu uma boa oportunidade de reconciliação, depois que o enteado resolveu dar um presente
  • Porém, o item brincou com uma situação que o padrasto tem como gatilho e gerou ainda mais confusão
  • A mãe do adolescente em questão defendeu o ponto de vista do filho e abalou a relação com o marido mediante o posicionamento

Neste domingo, 19 de junho, foi comemorado o Dia dos Pais nos Estados Unidos, e uma família aparentemente bem comum, composta por uma mãe solo, o filho (Jake) e o novo marido (com nome não identificado), protagonizou cenas desconfortáveis diante da data. Isso porque o filho, um adolescente de 16 anos, não possui boa relação com o padrasto, que por sua vez já teve muitos problemas com alcoolismo.

-Publicidade-
Hospital deve pagar pais do bebê que nasceu com sequelas após usarem técnica de parto ultrapassada
Padrasto fica revoltado após enteado fazer uma pegadinha e entregar presente que desperta traumas do passado (Foto: Getty Images)

No dia comemorativo, o adolescente entregou uma caixinha fechada para o padrasto, o que trouxe a ideia de aproximação entre os dois, e fez com que o gesto fosse identificado como uma tentativa de “bandeira de paz” entre eles. Entretanto, ao abrir o presente de Jake, o homem percebeu que se tratava de uma brincadeira de mau gosto, que o fez sentir muito mal diante de diversos traumas do passado.

O presente em si consistia em um cantil de bolso, específico para armazenar whisky, o que o padrasto considerou falta de consciência da seriedade da questão, estabelecida por Jake. A notícia dividiu internautas na rede, ao ser postada pelo jornal britânico The Mirror. Muitos sugeriram que, aos 16 anos, já é possível ter noção sobre a gravidade dos transtornos causados para uma pessoa que vive a reabilitação do alcoolismo. Outros garantiram que o presente não passou de uma brincadeira, que o padrasto poderia ter levado de forma mais tranquila.

A mãe tomou partido na discussão e ficou do lado do adolescente, evidenciando que, na visão dela, o marido não precisava ter se sentido tão ofendido com a atitude do filho. O padrasto, que está em reabilitação há 3 anos, garantiu que se sentiu devastado com a atitude do menino, e que não é a primeira vez que ele identifica comportamentos questionáveis do próprio enteado.