“Perdi marido e filha na travessia para os EUA”, diz brasileira em relato emocionante

Thais Natali, o marido e a filha de apenas 11 meses tentaram atravessar a fronteira do México com os Estados Unidos, porém ele e a bebê não resistiram e morreram afogados

Resumo da Notícia

  • Thais Natali perdeu o marido e a filha de 11 meses na travessia para os Estados Unidos
  • A família optou por atravessar ilegalmente para o país na fronteira com o México
  • Daniel e a pequena Eloah não resistiram e morreram afogados no rio

Thais Natali, 23, contou em um relato emocionante à BBC News Brasil como perdeu o marido e a filha de apenas 11 meses durante a travessia para os Estados Unidos. Daniel não conseguiu nadar e ficou submerso na água da fronteira do México, a pequena Eloah engoliu muita água, chegou a ser levada ao hospital mas não resistiu.

-Publicidade-

O corpo de Daniel foi encontrado quatro dias depois. Pai e filha foram cremados com o dinheiro que Thais arrecadou por meio de vaquinhas virtuais e doações de líderes de igrejas locais. Depois de mais de um mês viajando de ônibus a partir de São Paulo, foi dessa maneira que terminou o sonho da família de ter uma vida melhor nos Estados Unidos.

Hoje, Thais se mudou para outro Estado, onde pretende recomeçar a vida após ser apadrinhada por uma família americana. Ela afirmou que ainda está muito frágil por causa da tragédia, mas aceitou contar em entrevista à BBC News Brasil o que levou a família a tentar fazer a travessia e os momentos de desespero que viveu ao ver marido e filha morrerem.

A mulher nasceu em Osasco, em São Paulo, cursou psicologia, fez curso de inglês, mas não conseguiu continuar por causa da falta de dinheiro. Ela trabalhava como assistente comercial em uma multinacional americana. Daniel saiu de Angola em 2015 com medo de uma nova guerra civil, ele morou por um ano e meio no Rio de Janeiro e depois se mudou para São Paulo, onde conheceu Thais.

Thais contou que o marido sugeriu a travessia pelo rio
Thais contou que o marido sugeriu a travessia pelo rio (Foto: Reprodução/BBC)

Thais disse que não se sentiu confortável quando o marido falou que tinha vontade de largar tudo e viver nos Estados Unidos. “Ele falou pra mim: ‘A gente vai conseguir, fique calma. Meu irmão vai ajudar a gente. Ele também também vai’. Mas eu não sei falar como foi essa esta negociação, porque ficou entre eles”, contou.

Thais, a filha e o marido iniciaram a viagem aos Estados Unidos pegando um voo de São Paulo para o Peru, em janeiro de 2022, após três meses de planejamento. Eles venderam móveis e objetos pessoais para juntar o máximo de dinheiro. De Lima, capital do Peru, eles seguiram viagem de ônibus. Ao chegar ao Panamá, passaram cinco dias em um centro para refugiados, onde receberam comida e atendimento médico custeados pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Na sequência, o casal passou um mês no Estado de Chiapas, no México, até receber um visto de turista para permanecer no país. Em 13 de março, assim que a documentação foi emitida, Daniel sugeriu que eles viajassem para a cidade de Acuña, na fronteira com os Estados Unidos. “Não sei de onde veio essa ideia dele. Falei: ‘Amor, para que você quer atravessar aquele rio? Você disse que queria ficar aqui em Acuña para trabalhar, para ter uma vida melhor. Por que você quer tanto atravessar esse rio?’. Ele disse que ali já era o Texas e que inclusive os moradores estavam atravessando”, contou emocionada.

A mulher perdeu o marido e a filha de 11 meses na travessia para os Estados Unidos
A mulher perdeu o marido e a filha de 11 meses na travessia para os Estados Unidos (Foto: Reprodução/BBC)

Ela contou que era madrugada e que o rio estava de fato muito raso no começo, ela não sabia nadar e, nesse momento, sentiu medo e disse que queria desistir da travessia. Thais disse que o marido estava com a filha nos braços quando ela viu que a criança estava se afogando e pediu que ele a passasse para ela. Ela fez uma oração e, naquele momento, sentiu uma mão a puxando pelas costas. E, depois de alguns instantes, começou a sentir as pedras no chão e conseguiu concluir a travessia com a filha nos braços.

A região onde a família cruzou a fronteira é conhecida pela travessia ilegal de imigrantes. Hoje, Thais disse que gostaria que o depoimento dela servisse de exemplo para que outros brasileiros não tentem entrar os Estados Unidos de maneira ilegal. Ela contou que, desde que chegou aos Estados Unidos, não recebeu ajuda do governo brasileiro. Houve apenas um contato de uma funcionária do setor de emergência do Itamaraty.

Depois de cruzar a fronteira, Thais agora busca se reerguer emocionalmente e seguir os planos da família de viver nos Estados Unidos. Thais afirmou que deseja apenas ser respeitada, conseguir um trabalho, estudar e seguir a vida.