;
Família

Pesquisa do Google mostra que crianças ganham o primeiro dispositivo com internet aos 10 anos

Veja 5 dicas para proteger seu filho de armadilhas no mundo digital


Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

O estudo envolveu 400 pais e 200 professores (Foto: Getty Images)

Quando você nasceu, a internet provavelmente ainda estava engatinhando. Então, é uma novidade para grande parte dos pais e mães conseguirem lidar com crianças que parecem vir ao mundo programadas para o meio digitalMas saiba que cuidar da segurança dos seus filhos na internet não é muito diferente do mundo real. 

Afinal, o papel dos pais diante das redes é idêntico ao que têm no parquinho, por exemplo: checar a segurança do ambiente na chegada e, depois, ir ensinando o filho a explorar os brinquedos, interagir com as outras crianças. A internet é um lugar virtual, sim, mas com características de um espaço público.

“É impossível você conseguir proibir o seu filho de usar a internet. Por isso, é preciso ter a capacidade de discernimento. Educação é prevenção. Se os pais vão dar um dispositivo para a criança, têm que mostrar antes o que pode e o que não pode”, explica Viviane Rozolen, especialista em educação de usuários em segurança online do Google.

Para o Dia da Internet Segura, que acontece nesta terça-feira (5), o Google divulgou dados superimportantes de uma pesquisa feita em janeiro deste ano sobre cidadania digital e segurança online, em parceria com a Safernet. O estudo é parte dos esforços da Google para melhorar o nível de segurança nos ambientes online e envolveu 400 pais e professores brasileiros. 

Segundo os dados, a idade média com que as crianças ganham o primeiro dispositivo com conexão à internet é de 10 anos, mas a maioria dos pais acredita que elas deveriam começar a aprender sobre segurança online já a partir dos 8 anos. 89% dos pais também dizem que os filhos precisam desenvolver habilidades digitais para serem bem-sucedidas. 

Além disso, a pesquisa revelou as principais preocupações dos pais:

  • privacidade e segurança
  • evitar conteúdo impróprio
  • compartilhar informações com cuidado

“Os pais também devem ficar atentos ao compartilhamento em excesso, como expor fotos dos filhos nas redes sociais desde bebês. As crianças seguem um exemplo e precisam ser ensinadas que nem tudo deve ser compartilhado”, defende Viviane.

Segurança na escola

Entre os professores, 91% falam sobre a necessidade de mais recursos para ensinar sobre segurança online de maneira eficaz. Além disso, 67% deles dizem que os pais precisam se esforçar mais para manter seus filhos seguros na internet e e 69% acreditam que as crianças deveriam aprender a se cuidarem na internet tanto em casa quanto na escola. Entre as maiores preocupações dos professores, também estão:

  • prevenção do cyberbullying
  • privacidade e segurança
  • evitar golpes

Qual a idade certa?

A idade certa para liberar o acesso dos filhos à internet é uma das maiores dúvidas entre os pais. As crianças navegam naturalmente com tablets, computadores e smartphones, mas será que você tem como controlar os sites que ela acessa ou saber se o conteúdo clicado é ou não seguro? Por isso, é muito importante seguir algumas medidas simples de segurança para proteger seu filho. “Precisamos criar uma noção de responsabilidade compartilhada. Ou seja, sempre acompanhar o que as crianças fazem na internet. Saber que tipo de site, vídeo e conteúdo elas acessam”, explica Viviane.

O Google oferece diversas ferramentas para você conseguir estabelecer limites e usar a tecnologia da melhor maneira para sua família. Olha só:

  • Bloqueie sites explícitos na Pesquisa Google com filtros do SafeSearch
  • Gerencie o acesso dos seus filhos a sites com o Chrome
  • Use o Family Link para gerenciar os aplicativos que seus filhos podem usar
  • Defina limites de tempo para dispositivos e bloqueie conteúdos impróprios com o Google Wifi

Além da proteção que você vai oferecer ao seu filho, para que as crianças aproveitem a internet ao máximo, elas precisam estar prontas para tomar decisões inteligentes. Lançado no Brasil em 2018, o projeto Seja Incrível na Internet, do Googleensina ao seu filho os conceitos básicos de segurança e cidadania digital para que ele consiga explorar o mundo online com confiança. É uma combinação de jogo interativo com material didático gratuito para pais e professores com ferramentas para melhorar a relação das crianças com o mundo conectado.

O Seja Incrível na Internet tem cinco lições-chave para ajudar o seu filho a navegar com confiança no mundo online:

1. Seja inteligente na internet: compartilhe com cuidado

Na Internet, as notícias boas e ruins se espalham rapidamente. Por isso, quando não tomam cuidado, as crianças podem passar por situações complicadas com consequências duradouras. Qual é a solução para isso? Saber como compartilhar informações com pessoas conhecidas e desconhecidas. Incentive o cuidado na hora de compartilhar, tratando a comunicação na Internet da mesma forma que a comunicação pessoal. Ou seja, nunca poste coisas que você não diria ao vivo e ensine o seu filho a fazer o mesmo. Também vale criar regras sobre o que é ou não é adequado na comunicação.

2. Fique atento na internet: não caia em armadilhas

É importante mostrar ao seu filho crianças que, na internet, as pessoas e situações nem sempre são o que parecem. Saber identificar o que é real ou falso é fundamental para a segurança online.

3. Seja forte na internet: proteja seus segredos

A segurança e a privacidade são tão importantes na Internet quanto na vida real. Proteger informações valiosas ajuda as crianças a evitar danos a dispositivos e problemas com a reputação e os relacionamentos delas.

4. Seja gentil na internet: é legal ser gentil

A internet tem o poder de amplificar as coisas, e isso pode ser usado para espalhar positividade ou negatividade. Para fazer sempre a escolha certa, seu filho pode aplicar a regra de “tratar os outros como você gostaria de ser tratado” em tudo o que fazem online. Assim, ele vai ter um impacto positivo sobre as outras pessoas, além de ajudar a combater comportamentos de bullying.

5. Seja corajoso na internet: na dúvida, fale com alguém

“Em vez de ir atrás dos pais e professores, as crianças e adolescentes costumam buscar ajuda com outros da mesma idade para resolverem problemas, sendo que eles não têm maturidade o suficiente para realmente ajudar”, defende Viviane. Por isso, quando as crianças encontram algo questionável, elas precisam se sentir à vontade para conversar com um adulto de confiança. Para apoiar esse comportamento, você precisa estimular a comunicação aberta em casa e na sala de aula.

Leia também:

Conexão e segurança: o Google ajuda você a ensinar seu filho como usar a internet

5 dicas de segurança para seus filhos navegarem na internet

Como usar a internet sem se expor aos riscos