Pesquisa garante que coronavírus sobrevive 7 dias em máscara: te mostramos como se manter protegido

De acordo com um estudo de Hong Kong, ainda é possível encontrar partículas infectadas após uma semana do contato. A infectologista Gisele Gosuen explica os cuidados necessários

Resumo da Notícia

  • Um estudo dee Hong Kong concluiu que o coronavírus pode sobreviver até 7 dias em máscaras cirúrgicas
  • Isso acontece, porque após um certo tempo de uso, o equipamento fica úmido
  • Para garantir a eficácia das máscaras, veja as recomendações da infectologista Gisele Gosuen
Veja os cuidados necessários com a máscara para garantir a proteção contra o coronavírus (Foto: Getty Images)

Recentemente, o Ministério da Saúde reconheceu a necessidade de todos os brasileiros usarem máscaras para evitar a transmissão do coronavírus. A medida parece eficaz uma vez que 78% dos casos não apresentam qualquer sintoma da doença, mas mesmo assim podem infectar outras pessoas. Como não há no mercado o suficiente para aplicar isso para todo mundo, a instituição recomenda fazer uma máscara caseira de pano, que demandam alguns cuidados extras. 

Mas mesmo quem está usando as máscaras cirúrgicas precisa ficar atenta em relação à alguns cuidados para garantir a proteção adequada. Uma pesquisa feita por cientistas da faculdade de medicina da Escola de Saúde Pública da Universidade de Hong Kong avaliou a durabilidade do vírus em diferentes condições e texturas para medir o nível de contaminação indireta da pandemia.  

De acordo com o estudo, “um nível significativo do vírus ainda pode ser detectado na camada exterior da máscara cirúrgica sete dias depois do contato, indicando que a Sars-CoV-2 é extremamente estável nessa superfície”. Conversamos com a infectologista da UNIFESP e CRT/Aids Gisele Cristina Gosuen, mãe de Guilherme para esclarecer essa questão e indicar o melhor caminho nesses casos. 

“O fato da máscara ter umidade pode postergar a sobrevivência do vírus”, justifica. A especialista alerta que independentemente do resultado, esse equipamento deve ser trocado a cada 2 horas, porque após esse tempo já pode estar úmido e, assim, não oferecer a devida proteção. O estudo também indicou que temperaturas mais elevadas inviabilizam a ação do vírus e ela exalta esse ponto, considerando que o Brasil é um país tropical. 

Gisele diz que é impossível afirmar se aqui o coronavírus teria uma duração menor nas máscaras, uma vez que não foi realizado nenhum estudo nacional confirmando essa informação, mas faz recomendações para a população se manter protegida de acordo com o tipo de máscara que está vestindo:

  • Máscara cirúrgica: descartar após duas horas de uso
  • Máscara N95 (que protege contra aerossóis): descartar se tiver alguma sujeira visível ou após 7 dias
  • Máscara de pano: usar quando necessário, de forma individual e lavar muito bem com água e sabão após o uso 

 

Mão na massa

Veja o passo a passo do Ministério da Saúde para fazer a sua máscara em casa:

Antes de qualquer coisa, lave muito bem as mãos!

As máscaras de pano são recomendadas pelo Ministério da Saúde (Foto: Getty Images)

No primeiro modelo, usando uma camiseta:

  1. Corte a camiseta e espessura dupla usando como base as marcações indicadas na figura; 
  2. Faça um ponto de segurança na parte inferior (para segurar ambas as toalha); 
  3. Insira um papel entre as camadas; 
  4. Amarre a alça superior ao redor do pescoço, passando por cima das orelhas; 
  5. Amarre a alça inferior na direção do topo da cabeça.

No segundo modelo, usando costura e elástico: 

  1. Separe o tecido que tenha disponível (tecido de algodão, tricoline, TNT, outros têxteis), se possível, dê preferência ao tricoline. 
  2. Faça um molde em papel de forma no qual o tamanho da máscara permita cobrir a boca e nariz, 21 cm altura e 34 cm largura 
  3. Faça a máscara usando duplo tecido. 
  4. Prenda e costure na extremidade da máscara um elástico, ou amarras

 

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!