Petrópolis: irmãos cavam terra com as próprias mãos em busca do pai desaparecido

Ely José Soares de Menezes e a esposa Solange foram levados pela chuva da cidade na última terça-feira

Resumo da Notícia

  • Três irmãos ainda estão em busca do pai desaparecido
  • Priscila, Saimon e Danter já encontraram a mãe e enterraram ela
  • A chuva em Petrópolis deixou diversas vítimas

Três irmãos estão em busca do corpo do pai desaparecido, após a tragédia em Petrópolis. Priscila, Saimon e Danter passam o dia inteiro procurando com ajuda de voluntários e parentes, cavam a terra na Servidão de Frei Leão, na região do Morro da Oficina, em busca de respostas.

-Publicidade-

Eles buscam pelo pai, Ely José Soares de Menezes, de 62 anos. A única pausa no trabalho duro e sofrido aconteceu sábado, 19, quando foram enterrar a mãe, Solange. O casal estava em casa quando foi soterrado pelo deslizamento provocado pelas fortes chuvas de terça-feira passada.

A procura por familiares sumidos é um drama que acompanha muita gente em Petrópolis. Alguns, como Priscila e os irmãos, não têm mais esperança de encontrá-los com vida. No caso de Priscila Neves Ouriques, a busca cansativa dela e dos irmãos é para colocar um ponto final na tragédia que se abateu sobre a família.

A chuva em Petrópolis deixou a cidade destruída e diversas vítimas
A chuva em Petrópolis deixou a cidade destruída e diversas vítimas (Foto: Divulgação)

“A gente está nessa busca incansável. Quando achamos minha mãe já foi um alívio. A gente tem que achar meu pai também, não queremos deixar ele aí jogado”, disse ela ao Correio Braziliense, no fim da manhã do último domingo. “A gente não quer ter essa sensação de que não lutamos até o final.”

Priscila não acredita que encontrará o pai com vida. Ainda assim, ela e os irmãos têm conseguido atuar no trabalho de busca por corpos do início ao fim do dia. “É muita oração, a gente pede muito a Deus pra nos dar forças”, contou Priscila. “Estamos deixando nossos sentimentos de lado e focando só na busca. Só depois que a gente achar que vamos ter aquele momento pra desabar.”