Plano Nacional de Imunização irá receber 3,4 milhões de doses da Coronavac: veja como será a entrega

Durante uma coletiva de imprensa no início da tarde, Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, explicou como irá ocorrer a entrega das vacinas para o Ministério da Saúde ainda nesta semana

Resumo da Notícia

  • Nesta semana, houve um aumento de 5,5% nas internações de pacientes com Covid-19
  • Sobre a distribuição da Coronavac no país, o Instituto Butantan irá enviar 3,4 milhões e doses para o Ministério da Saúde
  • O projeto Bolsa Trabalho será levantado durante uma reunião na Alesp na próxima sexta-feira, 26 de fevereiro

Nesta segunda-feira, 22 de fevereiro, por meio de uma coletiva de imprensa realizada no início da tarde, o governo do estado de São Paulo informou sobre a criação do programa “Bolsa Trabalho”, além de falar da situação da vacinação e distribuição de doses da Coronavac para o Ministério da Saúde, a partir do Plano Nacional de Imunização (PNI).

-Publicidade-
3,4 milhõe de doses serão entregues para o Ministério da Saúde nesta semana (Foto: Freepick)

Segundo o número de internações, foi informado ainda a necessidade de atenção após um aumento de 5,5%, mas houve ainda uma queda no número de casos e óbitos no estado de São Paulo. No total, 6.288 pacientes ainda estão internados nos leitos de UTI Covid.

Vacinação em São Paulo

Até o momento, segundo o vacinômetro, mais de 2 milhões de pessoas receberam a imunização contra o novo coronavírus no estado. De acordo com Regiane de Paula, coordenadora de controle de doenças de secretaria do estado da saúde, os municípios com mais de 100 mil habitantes com mais pessoas vacinadas são: São Caetano do Sul, Santos, Botucatu, Catanduva e Barretos.

Nova entrega de vacinas para o Ministério da Saúde

Segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, serão entregues nos próximos oito dias a média de 426 mil doses por dia para o Ministério da Saúde para o Plano Nacional de Imunização (PNI), totalizando a marca de 3,4 milhões de doses.

Jean Gorinchteyn, secretário de saúde, informou ainda a chega de de mais respiradores para os leitos de UTI Covid e pediu o reforço das medidas de segurança. “Independente das cepas, mutantes ou não, a transmissão acontece pelo fato de não ocorrer a obediência a essas normas”, diz.

Como vai funcionar o Bolsa Trabalho

A partir de um programa de empregos com 100 mil vagas, será oferecido um auxílio financeiro de até R$ 450 mensais. Durante a primeira etapa, será pago uma parcela única de R$ 210 para as pessoas que frequentarem o curso de capacitação profissional do Via Rápida.

Com previsão da primeira parcela ser paga a partir de 1º de março, o pagamento pode acontecer por cinco meses para os profissionais com meio período de trabalho que apresentarem dificuldades financeiras. A proposta ainda será enviada para a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) na próxima sexta-feira, 26 de fevereiro.

“Já iniciamos imediatamente pagamento da bolsa auxilio de R$ 210 para todos que estão cursando o Via Rápida, cursos técnicos e profissionalizantes. Muitos não têm condição de pagar transporte ou alimentação. Candidatos ao auxílio são alunos frequentes e que podem comprovar dificuldade financeira. Eles podem sacar recurso em qualquer caixa eletrônico”, explicou Patricia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico de São Paulo.

Além disso, o projeto também conta com a contratação de pais e mães para atuar nas escolas durante o apoio de retomada das aulas. Na semana passada, durante outra coletiva de imprensa, foi explicado também sobre a contratação de mães como monitoras para a prevenção contra a Covid-19 nas instituições de ensino.