POD&tudo: Marcos Piangers e Ana Cardoso falam da estreia do filme “Papai é Pop”

O casal contou detalhes da gravação do longa que vai para as telas de cinema no próximo dia 11 de agosto

Resumo da Notícia

  • Marcos Piangers e Ana Cardoso são os convidados do quarto episódio do podcast da Pais&Filhos
  • Eles contam detalhes da gravação e da estreia do filme "Papai é Pop", que estará nos cinemas no próximo dia 11 de agosto
  • Ana fala também como foi a volta ao mercado de trabalho depois da licença maternidade

O quarto episódio da primeira temporada do POD&tudo está imperdível! Dessa vez recebemos um casal de colunistas da Pais&Filhos, pra lá de especial. O autor do best seller “O Papai é Pop”, Marcos Piangers e a jornalista e autora de livros como “Mamãe é Rock”, Ana Cardoso. Além de tudo isso, eles são também pais de Anita, 17, e Aurora, 10 anos de idade.

-Publicidade-
Andressa Simonini, editora-executiva da Pais&Filhos, Marcos Piangers e Ana Cardoso, pais de Anita e Aurora, e Jennifer Detlinger, editora da Pais&Filhos, participaram do 4º episódio do POD&tudo (Foto: Pais&Filhos)

Nesse bate papo, Piangers conta em detalhes como foi a construção do best seller “Papai é Pop”, que virou filme! O longa vai estrear nas telas de cinema no próximo dia 11 de agosto, interpretado por Lázaro Ramos e Paolla Oliveira. Piangers conta que a ideia surgiu em 2018, em 2020 veio a pandemia, e finalmente a gravação foi feita em 2021. “O filme atendeu as nossas expectativas, se não vender milhões  o mais importante é ter pelo menos uma família impactada com a mensagens”, reforça Piangers.

Mas o casal não falou só de trabalho, teve muita pauta de parentalidade, como a gente gosta! Piangers lembrou da história dele com a Pais&Filhos e se deu conta de como, nesse tempo todo, as meninas cresceram. E aproveitou para deixar uma mensagem para as famílias: “As crianças crescem muito rápido. A gente devia celebrar um pouquinho mais, passa muito rápido”.

Como tudo começou

A história deles virou até filme e nada melhor saber como foi o início desse relacionamento. Ana disse que logo que se conheceram já se “grudaram”. Mas, que lá no começo ele tinham sonhos diferentes. Ana não queria ter filhos, não se imaginava casada. Com 23 anos, o objetivo dela era fazer mestrado, doutorado e viajar o mundo. Até que encontrou Marcos que sempre sonhou em ter uma grande família e muitos filhos e em pouco tempo “engravidaram”. Desde então, as prioridades mudaram, deixaram a festa de casamento de lado e foram cuida da Anita.

Nas descobertas da maternidade e da paternidade, Ana conta que a experiência que ela teve na volta ao mercado de trabalho não foi positiva, assim como a realidade de muitas mulheres. “Depois que a Anita nasceu fiquei um tempo sem trabalhar por causa de preconceito contra mulher com filho. Eu tinha passado em um concurso e quando voltei me disseram que eu com bebê não podia trabalhar. Foi aí que comecei a trabalhar de casa”, desabafa.

Sensibilizado com a situação, Piangers reforça a importância das políticas públicas dos países para ter um sistema preparado para receber as crianças e acolher as famílias. Ele reforça que isso que vivemos é um problema estrutural, que está em todos nós!  “Os filhos não são a interrupção de um trabalho importante eles são o trabalho importante. Seria muito legal se a gente desse condição para as famílias receberem seus filhos com tranquilidade. A gente deveria construir uma sociedade que desse a condição dessa mulher estar bem tranquila para ter um pré-natal, um parto e uma licença-maternidade, se possível, parental – com um homem do lado – que desse a condição de construção de vínculo com essa criança”, afirma ele.

Outro ponto destacado por Piangers é a importância e a responsabilidade da sociedade em cuidar das crianças. Até naqueles assuntos que geram dúvidas e culpa para muitos pais. Como dar exemplo para crianças? Como impor limites? Como lidar com tudo isso?

Assista agora a entrevista completa: