Polícia conclui que motorista de aplicativo que levava Rodrigo Mussi excedeu as horas de trabalho

Kaique Reis admitiu ter pego no sono durante o trajeto de Rodrigo Mussi, e havia sido indiciado por lesão corporal culposa, porém a justiça determinou que esse era um crime de menor potencial ofensivo

Resumo da Notícia

  • A Polícia Civil de São Paulo concluiu que o motorista de aplicativo que levava Rodrigo Mussi foi imprudente
  • Kaique Reis também excedeu as horas de trabalho, e admitiu ter pego no sono durante a viagem
  • O motorista havia sido indiciado por lesão corporal culposa, porém a justiça determinou que esse era um crime de menor potencial ofensivo.

A Polícia Civil de São Paulo concluiu que o motorista de aplicativo que levava Rodrigo Mussi foi imprudente e excedeu as horas de trabalho. Kaique Reis, 24, havia sido indiciado por lesão corporal culposa, porém a justiça determinou que esse era um crime de menor potencial ofensivo.

-Publicidade-

Segundo o delegado Júlio César dos Santos Geraldo, o motorista foi imprudente e teve um excesso de jornada de trabalho não fiscalizada pelo aplicativo de transporte individual. Segundo a polícia, durante vários dias o motorista cumpriu longas jornadas de trabalho.

Motorista de aplicativo que levou Rodrigo Mussi foi imprudente, segundo a polícia civil
Motorista de aplicativo que levou Rodrigo Mussi foi imprudente, segundo a polícia civil (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

O motorista disse que cochilou ao volante antes de colidir com o caminhão, na Marginal Pinheiros, entre as pontes Cidade Universitária e Eusébio Matoso, na região do Butantã. Na época do acidente, ele foi ouvido pela Polícia Civil e liberado. O condutor foi autuado no 51º Distrito Policial (DP), Rio Pequeno, por lesão corporal culposa na direção de veículo automotor (quando não há a intenção de causar o acidente). Kaique responde ao crime em liberdade.

A reportagem do G1 apurou que o inquérito, agora concluído, já está na Justiça e agora o Ministério Público deve se manifestar. Um vídeo gravado por câmera de segurança mostra o momento do acidente. De acordo com policiais, no momento da batida do carro com o caminhão, a suspeita é a de que Rodrigo não estaria usando cinto de segurança no banco traseiro.