Policiais Militares salvam vida de bebê de 1 ano que parou de respirar de forma inesperada

Bebê de 1 ano e 7 meses para de respirar de forma inesperada. Policiais Militares que passavam pelo local, foram de encontro da mãe da criança, e realizaram o procedimento de desobstrução das desobstruir as vias aéreas

Resumo da Notícia

  • Uma bebê de 1 ano assustou toda a família após parar de respirar
  • Os Policiais Militares que passavam pelo local fizeram o resgate da menina
  • A mãe da criança não soube o motivo da filha ter parado de respirar

A Caroline Gomes Cabral, mãe da Elloisa Gomes, bebê de apenas 1 ano e 7 meses, foi à uma praça para brincar com a filha. No entanto, foi surpreendida negativamente, ao notar que a filha havia parado de respirar. Neste momento, dois policiais militares se ofereceram para salvar a menina. O caso aconteceu nesta sexta-feira, 18 de março – em Goiânia.

-Publicidade-

Em entrevista concedida ao G1, os soldados Osvaldo Moreira dos Santos Junior e Rafael Brito, disseram ter feito manobras para desobstruir as vias aéreas da Elloisa. “A gente verificou que a criança não respirava e estava com as vis aéreas obstruídas. De imediato, a gente pegou a meninas nos braços e fizemos manobras no intuito de liberar as vias respiratórias. Depois de algum tempo, a criança tossiu e voltou a respirar e recuperou a consciência”, disse Rafael.

Policiais Militarem salvam criança
Bebê de 1 ano e 7 meses é salva por Policias Militares (Foto: Reprodução/G1) 

A mãe, que foi pega de surpresa pela situação, disse que se sentiu aliviada peles profissionais terem socorrido a sua filha. “A gente tinha acabado de chegar na praça e, do nada, ela [bebê] caiu toda mole no chão. Graças a Deus por ter colocado os PMs no lugar certo e na hora certa ali para salvar a minha filha”, disse.

Logo em seguida da bebê de 1 anos recuperar a consciência, os policiais militares aconselharam a mãe a levar a filha à uma unidade de saúde.

O que fazer em caso de engasgo?

Primeiro lugar: manter a calma. Quanto mais nervosos, pior ficará a situação. Em bebês que ainda não completaram um ano, devemos virá-lo de bruços, em nossos braços, com a cabeça na altura mais baixa do que o quadril, e damos cinco “tapinhas” fortes na região das costas, justo entre os ossinhos da costela.

Caso o engasgo continue, viramos o bebê de barriga para cima e com os dois dedos maiores da mão, precisamos apertar cinco vezes o diafragma, que é o mais ou menos onde fica o estomago, até que possa ver alguma melhora. Para ler a matéria completa, clique aqui.