Portugal desenvolve máscara que elimina o novo coronavírus

O item inativa até 99% do vírus causador da Covid-19, e mantém a eficacia mesmo depois de 50 lavagens, diz estudo que comprovou eficácia

Resumo da Notícia

  • A máscara, chamada MOxAd-Tech, está à venda desde abril, mas a capacidade de inativar o vírus só foi confirmada agora
  • Este equipamento de proteção possui um revestimento que neutraliza o vírus quando entra em contato com ele
  • Foi demonstrada uma eficaz inativação do SARS-CoV-2 mesmo depois de 50 lavagens

Uma parceria entre várias empresas portuguesas e centros científicos e acadêmicos permitiu o desenvolvimento de uma máscara que inativa o vírus causador da covid-19, endossado pelo Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM), em Lisboa.

-Publicidade-
Este equipamento de proteção, que possui um revestimento que neutraliza o vírus quando entra em contato com ele (Foto: Getty Images)

Segundo a Abril, a máscara, chamada MOxAd-Tech, está à venda desde abril, mas a capacidade de inativar o vírus só foi confirmada agora por uma série de testes realizados pelo instituto, informaram as entidades que fazem parte do projeto. Este equipamento de proteção, que possui um revestimento que neutraliza o vírus quando entra em contato com ele, foi desenvolvido graças à colaboração entre o fabricante têxtil Adalberto, a empresa de varejo MO, Sonae Fashion, o centro de tecnologia CITEVE, iMM e Universidade do Minho.

O tecido foi analisado após ser embebido por uma solução que contém o coronavírus, de modo a medir a viabilidade da máscara ao longo do tempo. O virologista do iMM Pedro Simas, que coordenou os testes afirmou que “foi demonstrada uma eficaz inativação do SARS-CoV-2 mesmo depois de 50 lavagens, observando-se uma redução viral de 99% após uma hora de contato com o tecido”.

-Publicidade-

-Publicidade-